Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8069
Título: Efeitos Cardiovasculares e Respiratórios do Tratamento com Captopril em Ratos Submetidos à Hipertensão Arterial Pulmonar com Monocrotalina
Autor(es): PASCOAL, V. L. W.
Orientador: FIGUEIREDO, S. G.
Coorientador: Helder Mauad
Data do documento: 17-Dez-2014
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PASCOAL, V. L. W., Efeitos Cardiovasculares e Respiratórios do Tratamento com Captopril em Ratos Submetidos à Hipertensão Arterial Pulmonar com Monocrotalina
Resumo: Introdução: A Hipertensão Arterial Pulmonar (HAP) é uma doença caracterizada pelo aumento da resistência arteriolar nos pulmões. Como consequência das alterações arteriolares, ocorre hipóxia que leva à ativação de alguns mecanismos, incluindo os reflexos neurais, respostas ventilatórias e autonômicas, porém estes mecanismos não foram totalmente esclarecidos. Este estudo teve como objetivo avaliar como esses mecanismos são afetados pela HAP induzida pela monocrotalina (MCT) e o possível papel terapêutico do inibidor da enzima conversora da angiotensina (IECA), captopril, na reversão deste processo de remodelamento. Métodos e Resultados: Grupos de ratos Wistar foram tratados com uma injeção subcutânea de MCT (60 mg.kg-1) para indução da HAP. Três semanas depois, estes animais receberam captopril (CPT, 100 mg.kg-1) na sua água de beber (grupo MCT-CPT) ou apenas água (grupo MCT) durante 2 semanas. Como controle, outro grupo de animais foram tratados com solução salina e receberam captopril na água de beber (grupo CPT) ou água pura (grupo CON), também durante 2 semanas. Os resultados mostraram que a HAP foi totalmente induzida no grupo MCT, evidenciada por uma elevação do índice pulmonar. A análise gasométrica e respiratória evidenciaram a ocorrência de hipoxemia e hiperventilação compensatória. O tratamento com captopril dos animais com HAP normalizou estes parâmetros em comparação com o grupo CON. Observou-se também uma significante disfunção autonômica no grupo MCT, a qual foi revertida após o tratamento com captopril. Finalmente, as análises dos reflexos cardiovasculares evidenciaram uma exacerbação das respostas do quimiorreflexo no grupo MCT, enquanto a sensibilidade do barorreflexo e do reflexo Bezold-Jarisch reduziu expressivamente. Surpreendentemente, o tratamento com captopril normalizou essas respostas reflexas a valores semelhantes ao grupo CON. Conclusões: O presente estudo demonstrou que a HAP induzida por MCT induz respostas respiratórias compensatórias, disautonomia, disfunção do barorreflexo e do reflexo Bezold-Jarisch e exacerbação das respostas quimiorreflexas. Os dados também indicam que o tratamento com captopril foi eficaz em reverter estes distúrbios cardio-respiratórios, sugerindo que o uso de drogas ACEI pode ter um grande potencial terapêutico para a HAP. Palavras-chave: hipertensão arterial pulmonar, monocrotalina, captopril, quimiorreflexo, barorreflexo, reflexo Bezold-Jarisch.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8069
Aparece nas coleções:PPGCF - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8428_Tese Verônica Lourenço Wittmer Pascoal.pdf1.04 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.