Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8172
Título: Invasão neoplásica perineural e vascular de carcinomas de células escamosas orais : estudo clinicopatológico e imunoistoquímico
Autor(es): Cavalcante, Wanessa Siqueira
Orientador: Barros, Liliana Aparecida Pimenta de
Coorientador: Souza, Letícia Nogueira da Gama de
Data do documento: 24-Mai-2013
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CAVALCANTE, Wanessa Siqueira. Invasão neoplásica perineural e vascular de carcinomas de células escamosas orais: estudo clinicopatológico e imunoistoquímico. 2013. 106 f. Dissertação (Mestrado em Clínica Odontológica) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências da Saúde.
Resumo: O Carcinoma de Células Escamosas (CCE) oral é o câncer de boca mais comum, surge principalmente nas membranas mucosas orais e orofaringe, prevalece em adultos dos 50 aos 70 anos de idade e está relacionado ao tabagismo e etilismo. Aspectos como invasões perineural e vascular do CCE oral têm sido associados a prognósticos ruins, elevadas taxas de recorrência, comportamento agressivo, metástases e baixa sobrevida. O diagnóstico é essencial para o adequado tratamento e, embora seja baseado em suas características clínicas e histopatológicas, pode ser aprimorado pela técnica de imunoistoquímica. O objetivo deste estudo retrospectivo foi identificar as invasões perineural e vascular em lesões de CCEs orais diagnosticados pelo Programa de Prevenção e Diagnóstico de Câncer de Boca e Lesões de Boca do Curso de Odontologia da UFES entre 2004-2011. Foi encontrado um total de 29 pacientes com CCE oral e os dados clínico-demográficos coletados a partir dos prontuários. Para determinação da gradação tumoral e identificação dos processos invasivos utilizaram cortes processados pela técnica de Hematoxilina-Eosina (HE) e técnica imunoistoquímica com os anticorpos CD31 e CD34 para identificação de vasos; e S100 e PGP9.5, para identificação de nervos. Os dados obtidos foram analisados estatisticamente pelos testes qui-quadrado, Exato de Fisher, razão da máxima verossimilhança, Kappa e não paramétrico de McNemar. Registraram 69% dos casos com gradação tumoral bem diferenciada, relacionada significativamente com infiltrado inflamatório peritumoral justaposto. Invasões vascular e perineural foram encontradas em 17,2% e 31% dos casos analisados com HE, respectivamente. Houve intensa densidade microvascular peritumoral em 82,8% dos casos, com imunomarcação CD31. O anticorpo CD34 registrou 6,9% de casos com invasão vascular. A invasão neoplásica perineural foi detectada em 44,8% dos casos imunomarcados pela proteína S100 e em 58,6% pela proteína PGP9.5. Na análise de concordância entre as técnicas HE e imunoistoquímica quanto à presença de invasão perineural, o PGP9.5 foi mais efetivo que as demais. Conclui-se que a identificação das invasões neoplásicas perineural e vascular é uma ferramenta útil para o diagnóstico e prognóstico dos pacientes com CCE oral podendo ser utilizados métodos histopatológico e imunoistoquímico, sendo o último mais efetivo para esta análise. Palavras-chave: Carcinoma de células escamosas. Invasividade neoplásica. Antígenos CD31. Antígenos CD34. Proteínas S100. PGP9.5 proteína humana.
Oral squamous cell carcinoma (OSCC) is the most common oral cancer and occurs mainly in oral mucous membranes and oropharynx, prevailing in adults in range from 50 to 70 years old and it is associated with smoking and alcoholism. Aspects as perineural and vascular invasions of the OSCC have been associated with bad prognosis, increased recurrence rates, aggressive behavior, metastasis and low survival. The diagnosis is crucial for proper treatment and, even though it is based on their clinical and histopathological features, it may be improved through immunohistochemistry technique. The purpose of this retrospective study was to identify perineural and vascular invasions in OSCC lesions diagnosed by the Program for Prevention and Early Diagnosis of Oral Cancer and Oral Lesions at Dental School, UFES from 2004 to 2011. Overall, the records of 29 OSSC-diagnosed patients had been found and their clinical and demographic data were collected. In order to determine tumor grading and to identify invasive process, it were performed sections processed through the hematoxiline and eosin staining technique and immunohistochemistry with CD31 and CD34 antibodies to identify vessels and S100 and PGP9.5 antibodies to identify nerves. The obtained data were statistically assessed by qui-square test, Fisher’s exact test, maximum likelihood ration, Kappa test and McNemar’s non-parametric test. It was found 69% of cases with well differentiated tumor grade, significantly related to juxtaposed peritumoral inflammatory infiltrated. Vascular and perineural invasions were found in 17.2% and 31% of cases analyzed through H&E staining, respectively. There was intense peritumoral microvascular density in 82.8% of cases, as immunostaining with CD31. The CD34 antibody recorded 6.9% of cases with vascular invasion. Perineural neoplasic invasion was detected in 44.8% of cases immunostained with S100 protein and in 58.6% of cases immunostained with PGP9.5 protein. On agreement analysis between H&E and immunohistochemistry techniques, as regards presence of perineural invasion, the PGP9.5 protein was more effective than the others. It was concluded that the identification of vascular and perineural neoplasic invasions is a useful tool for the diagnosis and prognosis of patients with OSCC, might be used histopathological and immunohistochemistry methods, being the latter more effective for that analysis.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8172
Aparece nas coleções:PPGCO - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_6525_Defesa final.pdf4.19 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.