Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8207
Título: Associação da recessão gengival com hipersensibilidade dentinária cervical
Autor(es): Guimarães, Leonardo Luiz Moreira
Orientador: Rosetti, Elizabeth Pimentel
Coorientador: Pereira, Rosana de Souza
Palavras-chave: Retração gengival
Recessão gengival
Hipersensibilide
Gingival recession
Clinical study
Cervical dentin hypersensitivity
Data do documento: 12-Abr-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Não existem estudos conclusivos que determinem a exata relação entre a recessão gengival e a hipersensibilidade dentinária cervical. Diante da prevalência do problema de hipersensibilidade dentinária cervical associado com a recessão gengival, justifica-se a importância do conhecimento da relação destas condições clinicas. O objetivo deste estudo é avaliar pacientes com recessão gengival vestibular e sua associação com a hipersensibilidade dentinária cervical em estudo clínico em 61 pacientes atendidos na Clínica Odontológica do Curso de Odontologia da UFES. Eles foram selecionados quanto à presença de recessão gengival e após identificada a recessão o paciente foi submetido a avaliação com o intuito de identificar a relação com hipersensibilidade da dentinária cervical. Foram anotados de todos os pacientes dados referentes à idade, sexo, e o tipo de dente. No exame clínico foram avaliados os seguintes parâmetros: determinação da presença ou não do sangramento, presença visível de placa, altura da recessão gengival e hipersensibilidade dentinária cervical. O grau de sensibilidade foi classificado utilizando estímulo térmico (Endo-Ice Spray MAQUIRA®- PR/ Brasil), segundo UCHIDA em grau 0,1,2,3 sendo 0 (sem desconforto significativo),1 (desconforto, mas sem dor considerável), 2 (dor aguda durante a aplicação do estímulo), 3 (dor aguda durante e após a aplicação do estímulo). A associação entre os dentes que apresentam recessão gengival e a presença de hipersensibilidade dentinária cervical apresentou significância estatística com p<0,001, sendo a soma do grau sensibilidade em 69,5%, com índice 3 em 39,6% seguido de índice 2 com 29,9%. A recessão gengival e hipersensibilidade dentinária cervical são mais comuns do lado esquerdo do que o lado direito da arcada dentária com mais recessão gengival do lado esquerdo 56.4% (87 dentes) do que do lado direito 43,6% (67 dentes), o sangramento à sondagem e o índice de placa visível não apresentaram significância estatística ao nível de 5% (p = 0,227 e p = 0,687). Conclui-se que houve relação entre hipersensibilidade dentinária cervical e recessão gengival.
The gingival recession is commonly associated to cervical dentinal hypersensitivity. However, there are no conclusive studies which determine such relationship. The prevalence between these two clinical conditions is usually originated in cervical dentinal hypersensitivity, associated with gingival recession and it justifies the importance of understanding the relationship of these clinical conditions. The objective of this clinical study is to evaluate patients with vestibular gingival recession and the relationship of such condition with the cervical dentin hypersensitivity. Sixtyone patients were submitted to treatment at the Dental Clinic of the UFES School of Dentistry with gingival recession. Subjects were examined in search for the presence of gingival recession and evaluated in order to identify the relationship of each lesion with the cervical dentinal hypersensitivity. Age, gender and teeth type were taken into consideration. The following parameters were recorded through clinical examination: presence or absence of bleeding, visible presence of plaque/biofilm, gingival recession and cervical dentin hypersensitivity. The sensitivity factor (UCHIDA) was applied for sensitivity measurement. The association between the teeth with gingival recession and the presence of cervical dentin hypersensitivity showed statistical significance p<0.001, where the sum of the sensitivity factors were: 69.5% with index 3 in 39.6% of subjects, followed by index 2 featuring 29.9. It was observed, within the studied group, that gingival recession and cervical dentine hypersensitivity are more common on the left side than on the right side of the dentin with arch gingival recession on the left 56.4% (87 teeth) than the right side of 43.6% (67 teeth), bleeding on probing and visible biofilm index were not statistically significant at 5% (p=0.227 and p=0.687). It was concluded that there is a relationship between cervical dentin hypersensitivity and gingival recession.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8207
Aparece nas coleções:PPGCO - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9826_DISSERTAÇÃO FINAL.pdf504.67 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.