Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8214
Título: FUNGICIDAS E EFEITOS FISIOLÓGICOS NA CULTURA DO CAFÉ CONILON
Autor(es): HERZOG, T. T.
Orientador: SILVA, M. B.
Data do documento: 23-Fev-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: HERZOG, T. T., FUNGICIDAS E EFEITOS FISIOLÓGICOS NA CULTURA DO CAFÉ CONILON
Resumo: HERZOG, Thaisa Thomazini, M.Sc.; Universidade Federal do Espírito Santo; Fevereiro de 2017; Fungicidas e efeitos fisiológicos na cultura do café conilon; Orientador: Marcelo Barreto da Silva, Co-orientador: Fábio Luiz Partelli. O Estado do Espírito Santo é destaque nacional na produção de café conilon, sendo a atividade de grande importância para a região. Dentre os principais problemas enfrentados pelos cafeicultores destacam-se as doenças, como a ferrugem do cafeeiro, responsável por expressivas perdas na produtividade. Associado as demais estratégias de controle os fungicidas, que são produtos destinados ao controle dos fitopatógenos de forma a reduzir suas populações a níveis que não interfiram na qualidade e quantidade da produção agrícola. Contudo, alguns fungicidas também atuam na fisiologia das plantas. Assim, os fungicidas de efeitos fisiológicos podem trazer grandes benefícios para a cafeicultura por apresentarem esta dupla ação de controle. Entretanto, estes efeitos ainda são poucos esclarecidos para a cultura do café conilon. Diante do exposto, o presente trabalho teve como objetivo avaliar os efeitos fisiológicos na cultura do café conilon decorrentes da aplicação de diferentes fungicidas. O delineamento experimental utilizado foi em blocos casualizados com seis tratamentos (duas aplicações de piraclostrobina e epoxiconazol + boscalida e duas aplicações de piraclostrobina e epoxiconazol - T1; e os demais com três aplicações de piraclostrobina e epoxiconazol - T2; piraclostrobina, epoxiconazol e fluxapiroxade - T3; epoxiconazol - T4 e piraclostrobina - T5 e, sem aplicação de fungicida - T6) e quatro repetições. Foram realizadas avaliações do progresso da ferrugem do cafeeiro; crescimento de ramos, número de nós por ramo e comprimento dos internódios; índice relativo de clorofila; número médio de rosetas com frutos, de frutos por ramo e de frutos por roseta; uniformidade de maturação dos frutos; porcentagem de frutos chochos, peso dos frutos e produtividade. Como não foi observada a ocorrência da doença no campo, decorrente das condições climáticas desfavoráveis, as diferenças observadas, em algumas avaliações, foi inerente ao efeito dos produtos na fisiologia do cafeeiro conilon. Com base nos resultados obtidos no trabalho, concluiu-se que, nas condições em que foi realizado, a aplicação somente com epoxiconazol proporcionou menor crescimento acumulado e número de nós por ramo plagiotrópico e menor número de rosetas com frutos. Os tratamentos com viii piraclostrobina influenciaram positivamente os índices relativo de clorofila e proporcionaram valores inferiores da relação clorofila a/b. Não houve efeito dos produtos na cultura do café conilon nas demais características monitoradas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8214
Aparece nas coleções:PPGAT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10658_Thaisa Thomazini Herzog.pdf988.96 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.