Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8230
Título: METODOLOGIAS PARA AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA FUSARIOSE EM PIMENTA-DO-REINO
Autor(es): BRUMAT, A. C. L.
Orientador: SAMBUGARO, Rosana.
SILVA, M. B.
Coorientador: SOUZA, A. F.
Palavras-chave: Epidemiologia espacial
Piper nigrum
Fusarium solani f
sp
Data do documento: 16-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: BRUMAT, A. C. L., METODOLOGIAS PARA AVALIAÇÃO DA DISTRIBUIÇÃO ESPACIAL DA FUSARIOSE EM PIMENTA-DO-REINO
Resumo: O estudo espaço-temporal de doença de plantas analisa a interação entre o patógeno, ambiente e o hospedeiro, no qual existem diversas metodologias que podem ser utilizadas para esse fim. A fusariose é considerada a principal doença fúngica na cultura da pimenta-do-reino, no entanto ainda são poucos os estudos epidemiológicos da doença. Visto isso, objetivou-se com o trabalho estudar a distribuição espacial da fusariose em pimenta-do-reino utilizando diferentes metodologias de estudo. Foram monitoradas quatro áreas homogêneas de pimenta-do-reino, no município de São Mateus-ES, no período de dez/2015 a dez/2016. A presença ou ausência de sintomas, bem como a posição de cada planta, foram anotadas em planilhas obtendo-se o mapeamento da evolução da doença dentro das áreas. Para o estudo espacial analisou-se os dados por diferentes metodologias: Índice de Dispersão (ID), Lei de Taylor modificada, análise de dinâmica e estrutura de focos (ADEF), e a krigagem. A análise dos dados por meio Lei de Taylor modificada indicou distribuição agregada somente para a área quatro. A ADEF mostrou que, com a evolução da doença no campo, os focos se tornavam maiores e em menor número. Com a utilização de geoestatística foi possível observar que a fusariose é disseminada a curta distância, e que os focos obedecem a um padrão de alongamento. Comparando os resultados obtidos pelos diferentes métodos observa-se que a geoestatística corroborou com os resultados apresentados pelas metodologias convencionais (Lei de Taylor modificada e a ADEF), e que a mesma tem potencial para ser utilizada no estudo espacial de doença de plantas.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8230
Aparece nas coleções:PPGAT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11880_87 - Ana Carolina Lyra Brumat.pdf1.94 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.