Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8250
Título: ATIVIDADE DE EXTRATOS ETANÓLICOS SOBRE O CONTROLE IN VITRO DE COLLETOTRICHUM MUSAE
Autor(es): CARMINATE, B.
Orientador: SILVA, M. B.
Palavras-chave: Triagem fitoquímica
controle biológico
Data do documento: 23-Fev-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CARMINATE, B., ATIVIDADE DE EXTRATOS ETANÓLICOS SOBRE O CONTROLE IN VITRO DE COLLETOTRICHUM MUSAE
Resumo: O Brasil é o segundo maior produtor mundial de frutas. O Estado do Espírito Santo está entre os maiores produtores de banana (Musa spp.) e contribui consideravelmente para exportação desta fruta. No entanto a produção tem sido afetada pela ocorrência de doenças pós-colheita, afetando a qualidade e quantidade dos frutos disponíveis para exportação e consumo local. Diversas doenças afetam a qualidade das frutas na fase pós-colheita, como a antracnose, doença ocasionada pelo fungo Colletotrichum musae no fruto de banana, que representa o mais grave problema em pós-colheita desta fruta. A utilização de fungicidas de origem vegetal poderá constituir um método alternativo e promissor no controle de doenças, pois além de serem de fácil obtenção e baixo custo, minimizam os problemas de toxicidade apresentados pelos produtos químicos sintéticos. Assim, o objetivo deste trabalho foi avaliar a atividade de extratos vegetais de Eugenia astringens Cambess, Licania tomentosa e Vernonia polyanthes Less no controle in vitro do fungo fitopatogênico C. musae. O extrato etanólico foi obtido a partir de folhas e sementes de E. astringens, folhas de L. tomentosa e folhas e flores de V. polyanthes por maceração e realizado a triagem fitoquímica. Os compostos do metabolismo secundário encontrados foram alcalóides, saponina, flavonóis, fenóis e taninos, esteróides, terpenos e cumarinas. Todos extratos testados apresentaram atividade significativa no crescimento do C. musae. O extrato mais ativo foi o obtido da folha de Licania tomentosa e reduziu em 60% o crescimento radial micelial do fungo. Os extratos testados apresentam alternativa promissora no controle da antracnose de banana pós-colheita.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8250
Aparece nas coleções:PPGAT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_7931_43 - Dissertação - Bruna Carminate.pdf1.07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.