Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8304
Título: Efeitos da estiagem em espécies dominantes e subordinadas de uma comunidade de sub-bosque da Floresta Atlântica
Autor(es): HOLLUNDER, R. K.
Orientador: CARRIJO, T. T.
Data do documento: 23-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: HOLLUNDER, R. K., Efeitos da estiagem em espécies dominantes e subordinadas de uma comunidade de sub-bosque da Floresta Atlântica
Resumo: Estiagens têm ocorrido com maior frequência, duração e severidade nos últimos anos devido ao efeito das mudanças climáticas, alterando a estrutura das comunidades vegetais e o funcionamento dos ecossistemas terrestres. Os principais efeitos das estiagens na vegetação são: aumento da mortalidade, redução do crescimento e aumento de agentes bióticos, como insetos e patógenos. O objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito de uma estiagem em espécies dominantes e subordinadas de uma comunidade de sub-bosque ao longo de um gradiente topográfico na Floresta Atlântica. O estudo de campo foi conduzido em um fragmento florestal pertencente ao Parque Estadual Mata das Flores, localizado no município de Castelo ES, no sudeste do Brasil. O desenho amostral consiste de 20 parcelas distribuídas ao longo de um gradiente topográfico, onde a abundância e o diâmetro a altura do peito (DAP) da vegetação de sub-bosque foi quantificada. Foram realizadas duas amostragens, uma antes e outra depois da estiagem, buscando quantificar as taxas de mortalidade e crescimento da vegetação. Nutrientes e umidade do solo e nutrientes da serapilheira, bem como cobertura da copa e a biomassa da serapilheira foram quantificadas buscando acessar a variação ambiental e de recursos ao longo do gradiente. As espécies subordinadas presentes na baixada e a comunidade vegetal como um todo que ocorre na baixada foram os componentes mais resistentes aos efeitos da estiagem quando comparado com o relevo inclinado 2 e topo. A densidade de indivíduos e os nutrientes da serapilheira e do solo foram componentes importante em explicar o crescimento da vegetação. O diâmetro médio e os nutrientes da serapilheira e do solo foram componentes importantes em explicar a mortalidade da vegetação. Os indivíduos com maior biomassa do foram mais resistentes aos efeitos da estiagem. As espécies subordinadas apresentaram uma relação negativa entre crescimento e mortalidade, ao passo que, as espécies dominantes não apresentaram relação nenhuma. Este estudo destaca a importância de considerar os componentes bióticos (competição) e abióticos (nutrientes e luz) para melhorar nosso entendimento relacionado aos efeitos das estiagens. No entanto, os mecanismos que explicam os padrões de mortalidade e crescimento em Florestas Tropicais ainda permanecem pouco entendido.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8304
Aparece nas coleções:PPGBT - Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11702_Divulgação de Defesa Renan Köpp Hollunder20180326-180057.pdf186.86 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.