Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8329
Título: Mortalidade por câncer de colo do útero no Espírito Santo: tendências temporais e papel da enfermagem.
Autor(es): Calheiros, Juliana Oliosi
Orientador: Zandonade, Eliana
Palavras-chave: Neoplasias do colo do útero
Registro de mortalidade
Cervix neoplasms
Data do documento: 13-Mai-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CALHEIROS, Juliana Oliosi. Mortalidade por câncer de colo do útero no Espírito Santo: tendências temporais e papel da enfermagem. 2016. 121 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Enfermagem) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências da Saúde, Vitória, 2016.
Resumo: No Brasil, o câncer de colo uterino é a terceira neoplasia maligna mais comum entre mulheres e quarta causa de morte por câncer na população feminina no mundo. Objetivos: Descrever a tendência de não completude do Sistema de Informação de Mortalidade (SIM), em uma série histórica de 2000 a 2012, e analisar a tendência de mortalidade por câncer de colo do útero de 1980 a 2012. Desenvolver uma tecnologia da informação visando a orientação das mulheres para a importância do conhecimento dos fatores de risco, prevenção e do rastreamento por meio do exame Papanicolau. Metodologia: Estudo analítico baseado em dados secundários obtidos no SIM e dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Para análise da completude dos dados inseridos no SIM, utilizou-se o escore proposto por Romero e Cunha, e, para a tendência de mortalidade da série de 1980 a 2012, realizou-se o cálculo do coeficiente de mortalidade por óbitos em dois períodos. Resultados: Durante o período de 2000 a 2012, observou-se uma tendência estável de não completude para as variáveis raça/cor e escolaridade no Espírito Santo. A variável estado civil apresenta uma tendência crescente de não completude no estado do ES e Sudeste (p<0,001). Na análise da tendência de mortalidade no período de 1980 a 2012 ocorreram 3.618 óbitos por câncer de colo de útero no estado do Espírito Santo. Observou-se que o coeficiente de mortalidade no período de 1980 a1994 apresentou tendência crescente (p=0,006), e de 1995 a 2012 a tendência foi decrescente (p=0,001). Conclusão: Busca-se com a realização de estudos baseados na análise da qualidade dos dados contidos na declaração de óbito a construção de um sistema de informação que possa subsidiar dados epidemiológicos consistentes e fidedignos, levando a novas pesquisas, implantação de políticas institucionais públicas e planejamento mais eficaz, por parte dos gestores, de programas direcionados a melhoria desses indicadores e capazes de minimizar os números de óbitos através de ações efetivas. Uma das ferramentas para redução da mortalidade por câncer de colo do útero está na sensibilização das mulheres por meio de orientação quanto às formas de prevenção, o conhecimento dos fatores de risco, a importância do rastreamento para detecção precoce e quebra de preconceitos em relação a medo, vergonha e elementos culturais como fatores dificultadores para alcançar a cobertura preconizada. Baseado nos resultados deste estudo e nos achados durante a revisão de literatura, pretendemos abrir um canal de comunicação informativo da saúde da mulher como meio de socialização do saber e seu possível reconhecimento por meio de um site e uma cartilha, despertando o autocuidado em busca da prevenção e promoção da saúde.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8329
Aparece nas coleções:PPGENF - Dissertações de mestrado profissional



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.