Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8343
Título: Qualidade da água no município de São Mateus: análise parasitológica, microbiológica e físico-química
Autor(es): NUNES, L. G. P.
Orientador: SOUZA, M. A. A.
Coorientador: Oliveira, M.V.
Data do documento: 26-Fev-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: NUNES, L. G. P., Qualidade da água no município de São Mateus: análise parasitológica, microbiológica e físico-química
Resumo: A água é um recurso essencial para vida humana, uma vez que 75% do corpo humano é constituído por esse elemento. Considerando que a preservação da qualidade desse recurso é fundamental para saúde da população, o presente estudo buscou avaliar o conhecimento da população acerca da manutenção dos reservatórios domiciliares de água (caixas dágua), além de verificar a qualidade da água consumida pela população, principalmente os efeitos dos reservatórios domiciliares nas características físico-químicas, parasitológicas e microbiológicas da água, no município de São Mateus, norte do Espírito Santo. A coleta dos dados socioeconômicos ocorreu através de uma entrevista com os moradores. Para análise microbiológica foi utilizada a técnica do substrato definido, que possibilita a detecção e identificação simultânea de coliformes totais e E. coli. Para a investigação de parasitos utilizou-se um método de sedimentação por centrifugação (método de Blagg) e outro de flutuação (Sheather modificado). Os resultados obtidos foram avaliados através de ferramentas da estatística descritiva e inferencial, utilizando-se para tanto, testes de qui-quadrado de Pearson e análise de regressão de Poisson. Observou-se que todos os entrevistados tinham conhecimento da necessidade de se realizar a limpeza da caixa dágua, porém, em 14,29% (n=10) dos domicílios a limpeza não era realizada. Com relação ao período de limpeza da caixa dágua, 61,43% (n=43) dos moradores afirmaram que seis meses era o período correto para sua realização, com 55,71% (n=39) dos moradores efetivamente realizando a limpeza nesse período de tempo. A análise parasitológica indicou, apenas, um ovo de ancilostomídeo em uma amostra proveniente da rede de abastecimento. Os resultados da análise microbiológica da água mostram que as amostras provenientes dos reservatórios domésticos estavam mais contaminadas que as da rede pública de abastecimento, com diferença significativa (p=0,008) entre os grupos, para contaminação por coliformes totais. Considerando o teor de cloro residual livre, das 166 amostras analisadas, 94,58% (n=157) apresentaram teores abaixo do recomendado para desinfecção da água, sendo que em nenhuma amostra proveniente do reservatório domiciliar o teor mínimo foi atingido. O alto grau de contaminação microbiológica dos dois grupos pode estar diretamente associado aos reduzidos teores de cloro residual livre das amostras, sobretudo daquelas provenientes dos reservatórios domésticos. O uso do reservatório domiciliar exerceu efeito negativo sobre a qualidade da água, tanto em relação aos teores de cloro residual livre quanto à contaminação por coliformes totais, podendo trazer prejuízos para saúde da população. Palavras-chave: Água; reservatório domiciliar; coliformes totais; E. coli; cloro.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8343
Aparece nas coleções:PPGCFAR – Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11851_Dissertação Final - Luiz Gustavo de Paiva Nunes.pdf1.35 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.