Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8349
Título: Efeito de concentração subterapêutica de vancomicina sobre Staphylococcus aureus, no contexto do tratamento de bacteremias no paciente em hemodiálise
Autor(es): CHAGAS, R. A.
Orientador: SCHUENCK, R. P.
SILVA, V. L.
SANTOS, K. V.
Palavras-chave: vancomicina
dose subterapêutica
S
aureus
hemodiálise
Data do documento: 20-Jun-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CHAGAS, R. A., Efeito de concentração subterapêutica de vancomicina sobre Staphylococcus aureus, no contexto do tratamento de bacteremias no paciente em hemodiálise
Resumo: Devido ao elevado índice de Staphylococcus aureus resistentes a meticilina (MRSA) em infecções da corrente sanguínea (ICS) em pacientes em tratamento hemodialítico a vancomicina (vanco) tem sido o antibiótico de escolha no tratamento empírico destas infecções. Pacientes em tratamento hemodialítico podem apresentar concentrações séricas de vanco abaixo do nível terapêutico (<10µg/mL), que podem ocorrer devido a falhas no ajuste de doses e no intervalo de administração do fármaco, especialmente importantes quando são utilizadas membranas de alto fluxo. Assim, é extremamente recomendado o monitoramento dos níveis séricos mínimos de vanco, para adequação da dosagem e do intervalo de administração do fármaco. No entanto, poucos hospitais ou serviços de hemodiálise têm acesso à vancocinemia, sendo os pacientes, frequentemente, tratados com doses subterapêuticas. Essa subdosagem pode levar a falha terapêutica e seleção de cepas bacterianas resistentes. Além disso, efeitos menos óbvios de doses subterapêuticas de antimicrobianos, como interferência na expressão de fatores de virulência do microrganismo tem sido relatados, sendo este o foco do presente estudo. O Objetivo deste trabalho é investigar os efeitos de dose subterapêutica de vanco sobre alguns aspectos da fisiologia e de fatores de virulência do S. aureus. Cepas de S. aureus com diferentes perfis de susceptibilidade à vanco serão expostas a dose subterapêutica do fármaco (<10µg/mL) em experimento de curva de morte (time kill curve). Em seguida as cepas bacterianas serão cultivadas na presença do fármaco durante sete dias consecutivos em ágar Muller Hinton contendo um gradiente de vanco (0 a 10µg/mL), simulando a terapia empírica padrão das ICS nos pacientes em hemodiálise. Uma cultura controle da mesma cepa bacteriana, porém sem exposição ao fármaco será incluída em todos os experimentos. Ao final do sétimo dia, as culturas serão avaliadas (i) quanto a suas características morfológicas por meio da microscopia eletrônica de varredura e transmissão; (ii) quando à concentração inibitória mínima de vanco por meio de microdiluição em caldo; (iii) quanto a sua capacidade de produção de biofilme em microplacas de polipropileno e (iv) quanto à sua resistência à fagocitose e à atividade bactericida de neutrófilos e macrófagos.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8349
Aparece nas coleções:PPGCFAR – Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8531_Dissertação Rodrigo Altoé Chagas..pdf1.8 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.