Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8357
Título: Epidemiologia molecular e caracterização da resistência de amostras de Acinetobacter baumannii e Pseudomonas aeruginosa resistentes aos carbapenêmicos provenientes de hospitais da Grande Vitória-ES.
Autor(es): VALLORINI, T. P. C.
Orientador: SCHUENCK, R. P.
Data do documento: 30-Ago-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: VALLORINI, T. P. C., Epidemiologia molecular e caracterização da resistência de amostras de Acinetobacter baumannii e Pseudomonas aeruginosa resistentes aos carbapenêmicos provenientes de hospitais da Grande Vitória-ES.
Resumo: A emergência e a disseminação da resistência aos antimicrobianos entre os bacilos Gram-negativos não fermentadores, tais como Acinetobacter baumannii e Pseudomonas aeruginosa, são um problema mundial. Carbapenêmicos são antimicrobianos beta-lactâmicos indicados para o tratamento de infecções graves causadas por esses agentes, contudo, o surgimento de patógenos multirresistentes ameaça seriamente o uso dessa classe de fármaco no ambiente hospitalar. O presente trabalho teve como objetivo caracterizar amostras clínicas de P. aeruginosa e A. baumannii resistentes aos cabapenêmicos, quanto a presença de genes de resistência aos beta-lactâmicos, perfil epidemiológico e de suscetibilidade aos antimicrobianos utilizados na rotina clínica. Para avaliar a suscetibilidade das amostras aos antimicrobianos foi realizado o método de difusão em ágar a partir do disco e para a determinação da concentração inibitória mínima foi realizado o método do teste de gradiente do antimicrobiano. A pesquisa dos genes codificadores de beta-lactamases foi feita através da técnica de PCR e o polimorfismo genético foi analisado pelas técnicas de eletroforese em gel de campo pulsado (PFGE) e tipagem de sequência de multilocus (MLST). As espécies incluídas no estudo foram: A. baumannii (n=26) e P. aeruginosa (n=15). A maioria das amostras apresentou um perfil de multirresistência aos antimicrobianos testados, destacando-se a resistência à colistina em nove amostras de A. baumannii. Nessa espécie, o gene de carbapenemase prevalente (92,3%) foi o blaOXA-23 e nas amostras de P. aeruginosa o gene blaVIM mostrou-se prevalente (33,3%). Através da análise por PFGE, foi observado a prevalência de dois pulsotipos entre as amostras de A. baumannii: abA (34,6%) e abB (23%) enquanto que as amostras de P. aeruginosa apresentaram pulsotipos distintos, demonstrando a origem policlonal das amostras. Através do MLST realizado em cinco amostras de P. aeruginosa, foram encontrados os STs 357, 2321, 1121, 244 e 227, sendo observados dois complexos clonais de importância mundial o CC235 e o CC244. Adicionalmente, os ST357, ST2321 e ST1121 foram descritos pela primeira vez no Brasil. Palavras-chave: Acinetobacter baumannii. Pseudomonas aeruginosa. Betalactamases. Resistência. Genotipagem.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8357
Aparece nas coleções:PPGCFAR – Dissertações de Mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9424_Dissertação Final - Thalita Pereira Cabral Vallorini.pdf2.03 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.