Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8564
Título: Análise das relações serviço, ensino e comunidade na formação médica
Autor(es): Szpilman, Ana Rosa Murad
Orientador: Barros, Maria Elizabeth Barros de
Palavras-chave: Educação de graduação em medicina
Education, medical, undergraduate
Assistência à saúde
Data do documento: 28-Jun-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A presente tese enfoca a formação médica indicando a urgência de mudanças para se constituir uma política de formação em que o espaço público seja privilegiado, afirmado e potencializado no exercício desse ofício. Espaço público entendido como o espaço que se constitui com a inclusão de usuários, trabalhadores e gestores do sistema de saúde público brasileiro, o SUS, de tal maneira a perseguir um processo de formação pautado no trabalho coletivo, integrando ensino, serviço e comunidade. Objetiva-se analisar se a inclusão dos alunos de graduação do curso de Medicina da Universidade Vila Velha (UVV) no Programa de Interação Serviço, Ensino e Comunidade (PISEC), que tem afirmado práticas que enfatizam o espaço público, não reduzidas ao aspecto biomédico, práticas com capacidade de realizar trabalho compartilhado em cogestão com usuários, trabalhadores e gerentes. Para tanto, foram apresentados documentos oficiais sobre a formação médica, relacionados à UVV, ao curso de Medicina e à PMVV, entre outros. Incluímos, também, relatos sobre as vivências nos locais de trabalho em saúde do município e a própria experiência da autora como preceptora e atual coordenadora do PISEC da UVV. Realizamos entrevistas com os vários atores do processo: alunos, preceptores, profissionais e usuários, além de entrevista com o coordenador do PISEC de 2007 a 2013. Utilizamos questões disparadoras para nortear os momentos das entrevistas, as quais foram transcritas integralmente para as análises. A pesquisa foi submetida e aprovada pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UFES, após ter sido autorizada pela Secretaria de Saúde de Vila Velha e pela Universidade Vila Velha, e todos os sujeitos participantes assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido. Nas análises dos vários discursos demonstrou-se que o PISEC se apresenta como uma possível estratégia de formação em saúde pública, caso consiga se afirmar como uma política de formação do profissional médico e não se constitua como programas de formação desarticulados. Uma formação que se efetive de forma transversal e o médico atue como profissional de saúde que compõe uma equipe, que não tenha apenas uma prática assistencialista, mas também efetive práticas de coordenação dos processos de trabalho, numa diretriz que afirma a indissociabilidade entre clínica e política. Apostamos em uma política de formação que amplia e afirma uma prática assistencial em saúde que seja democrática, participativa, lateralizada.
The present thesis focuses on the medical education indicating the urgence for changes to develop an educational politicy in which the public space is privileged, affirmed and empowered in the exercise of this profession. The public space is understood as the space formed by the Public Health System users, workers and managers inclusion, in pursuit of an educational process marked by collective work, integrating teaching, service and community. The main goal is to analyse if the Vila Velha University (UVV) Medical School students’ inclusion in the Community-Teaching-Service Interaction Program (PISEC) has been affirming practices that enphazise the public space, not reduced to the biomedical aspect, with the capacity to carry out comanagement shared work between users, workers and managers. For this purpose, official documents were presented, related to the medical education, to the Vila Velha University, to the medical school and to the Vila Velha City Hall, among others. Reports on the municipality health work places experiences and the author’s own experiences as actual UVV PISEC preceptor and coordinator were also included. The various actors in the process were interviewed: students, preceptors, professionals and users, besides an interview with the PISEC coordinator from 2007 to 2013. To direct the interview moments, trigger Questions were used, which were integrally transcribed to the analysis. The research was submitted and approved by the UFES Research Ethics Committee, after being aproved by the Vila Velha Health Secretariat and by the Vila Velha University, and all subjects signed an Inform Consent Form. In the speeches analysis it was demonstrated that the PISEC presents itself as a possible strategy to public health education, if it accomplished to affirm itself as a medical educational politics and not to establish itself as a desarticulated educational program. Education that becomes effective in a transversal way, and where the doctor acts as a health professional that is part of a team, and that do not perform assistance practices only, but also coordinating work processes, in a guideline that affirms an indissociability between clinic and poliltics. We are commited to an educational politics that expand and affirm a health assistance practice which is democratic, participative, and lateralized.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8564
Aparece nas coleções:PPGE - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9904_TESE Ana Rosa20160725-110132.pdf1.77 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.