Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8580
Título: INGLÊS, TECNOLOGIA E INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR: EVIDÊNCIAS E REFLEXÕES A PARTIR DA ANÁLISE DE MOOCS
Autor(es): TYLER, J. R.
Orientador: FINARDI, K. R. N. L.
Palavras-chave: MOOCs
Língua Inglesa
Internacionalização
Interação Humano
Data do documento: 15-Dez-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: TYLER, J. R., INGLÊS, TECNOLOGIA E INTERNACIONALIZAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR: EVIDÊNCIAS E REFLEXÕES A PARTIR DA ANÁLISE DE MOOCS
Resumo: Este estudo visa refletir sobre a interligação do papel da língua inglesa e da tecnologia digital no processo de internacionalização do ensino superior e a construção de capital social (WARSCHAUER, 2003), por meio do acesso à informação e educação on-line. O estudo é baseado no pressuposto de que tanto a internet quanto o inglês são veículos para a inclusão social e acesso à informação (por exemplo, FINARDI; PREBIANCA; MOMM, 2013) e educação on-line (por exemplo, FINARDI; TYLER, 2015) e que o acesso à informação pode ser usado para fomentar o desenvolvimento de uma cidadania global e do capital social (WARSCHAUER, 2003). Finardi e Tyler (2015) analisaram o papel do inglês nos Cursos On-line Abertos Dirigidos a um Público Amplo (em inglês: Massive Open Online Courses MOOCs) concluindo que os MOOCs representam uma ferramenta importante para a socialização da educação, promovendo o desenvolvimento social e impulsionando a internacionalização da educação, ainda que a grande parte desses cursos esteja disponível apenas em inglês. Partindo das conclusões de Finardi e Tyler (2015), esta pesquisa entende que em países como o Brasil, o conhecimento do inglês é necessário para ampliar o acesso à maior parte das vantagens proporcionadas pelos MOOCs. Assim, com base na teoria Sociocultural de Vygotsky, no uso de abordagens híbridas (por exemplo FINARDI, 2015; FINARDI; PREBIANCA; SCHMITT, 2016), na teoria da Interação Humano-Computador e da Modificabilidade Cognitiva Estrutural que embasaram estudos que propuseram matrizes de avaliação de softwares educacionais para o ensino/aprendizado de inglês levando em consideração as características ergonômicas e pedagógicas dos mesmos (por exemplo, PREBIANCA; SANTOS JÚNIOR; FINARDI, 2014; PREBIANCA; VIEIRA; FINARDI, 2014; FINARDI et al., 2014) esta dissertação tem como objetivo elaborar uma matriz de avaliação do potencial de adaptabilidade dos MOOCs em inglês para usuários que são falantes não nativos desse idioma. A metodologia de pesquisa é de cunho qualitativo e também se insere na perspectiva da metodologia de desenvolvimento (COUTINHO; CHAVES, 2001), e se apresenta em duas fases: a análise de necessidades que se caracteriza pela revisão de literatura com dados coletados a partir de um levantamento bibliográfico para formação do corpus, e a elaboração de uma matriz para avaliar o potencial de adaptabilidade de MOOCs com base em critérios pedagógicos, ergonômicos e de usabilidade.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8580
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10328_Dissertação Jhamille Roberts Tyler - Versão Final.pdf367.64 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.