Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8584
Título: Escola do campo em comunidades de fronteiras
Autor(es): Peizini, Angela Maria Leite
Orientador: Foerste, Erineu
Palavras-chave: Educação do campo
Fronteira
Culturas e interculturalidade
Data do documento: 25-Jul-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Esta pesquisa está vinculada à linha de pesquisa Cultura Currículo e Formação de Educadores do Programa de Pós-Graduação em Educação da Universidade Federal do Espírito Santo e foi desenvolvida de forma articulada ao Grupo de Pesquisa (CNPq) Culturas, Parcerias e Educação do Campo. Analisa como e quais os diálogos que emergem com as diversas culturas vivenciadas pelos professores que transitam entre uma comunidade e outra, ou entre um município e outro nas fronteiras do Distrito de Aracê, em Domingos Martins/Estado do Espírito Santo/Brasil. Para evidenciar questões sobre cultura e interculturalidade, aprofundam-se reflexões sobre as implicações das diversas culturas na Educação do Campo em um contexto de fronteiras. Discute-se a interlocução entre as fronteiras geográficas e culturais do campo onde se dá o trânsito dos professores e suas relações com o outro através do diálogo. Compreende-se a geografia não inserida em mapas no contexto das comunidades e escolas em regiões fronteiriças, mas nas fronteiras concretas das relações sociais. Beneficia-se do estudo de caso para análise de documentos, observações de encontros de planejamento na escola, bem como de sala de aula, participação em encontros de formação continuada, com realização de entrevista semiestruturada com os professores e, anotações no diário de campo. Situam-se brevemente aspectos sobre os municípios que integram a fronteira e da Educação do Campo. Foram estabelecidos diálogos com autores que discutem alguns conceitos-chave, como Educação do Campo (CALDART, 2012), fronteira (HEIDEGGER, 2012; FOUCHER, 2009), hibridação cultural (CANCLINI, 2001; 2013), interculturalidade (FOERSTE, 2010), diálogo (FREIRE, 1967), cartografia social (ALMEIDA, 2008), comunidade (BRANDÃO, 2012). As investigações se beneficiaram de abordagens qualitativas em educação (LUDKE e ANDRÉ, 1996; BRANDÃO, 2008; FICHTNER et al, 2012). Aponta-se que o sentimento de bem-estar institucional é dimensão preponderante na decisão de ir e vir nas fronteiras, entre um município e outro. As práticas dos professores se (re) significam na interação com os diversos saberes culturais, experienciais e coletivos, produzidos na dinâmica escolar e comunitária da fronteira. Pode-se afirmar que no contexto da escola investigada existem algumas condições que favorecem práticas de interculturalidade. Cabe aprofundar estudos sobre as relações estabelecidas na fronteira e seus impactos à valorização das culturas.
This research is linked to the research line Curriculum Culture and Post-Graduate Program of Teachers Forming in Education, from Universidade Federal do Espírito Santo and it was developed in articulated efforts to the “Grupo de Pesquisa Culturas” (CNPq), “Parcerias e Educação do Campo”. It has its focus on how and which dialogues appear with the different cultures lived by teachers who work on multiple communities, or on two counties, or on the borders of Aracê District, in Domingos Martins – Espírito Santo – Brazil. To show questions about culture and interculturalism, it has to be make deep reflexions about the many cultures implications on “Educação do Campo”, when is studied in the matter of borders. It’s discussed the interlocution between geographic and cultural borders, in the place where the teachers work and its relations between them through dialogue. It covers the geography not included in maps on the communities’ context and schools near the borders, but in the social relations concrete borders. It’s a case study to analyze documents, to watch planning encounters in the school, as well in the classroom, joining groups in ongoing formation, with the achievement of a interview with the teachers and notes when the research is doing. It lies briefly aspects about the Counties which are frontiers and from “Educação do Campo”. It was made dialogues with the authors to discuss key points, like Countryside Education, (CALDART, 2012), border (HEIDEGGER, 2012; FOUCHER, 2009), cultural hybridization (CANCLINI, 2001; 2013), interculturalism (FOERSTE, 2010), dialogue (FREIRE, 1967), social cartography (ALMEIDA, 2008), community (BRANDÃO, 2012). The researches were made with qualitative approach in education (LUDKE e ANDRÉ, 1996; BRANDÃO, 2008; FICHTNER et al, 2012). It’s pointed that the institutional welfare is very important to decide going and coming in the borders. The teacher’s practices (re) meaning in the interaction with the multiple cultural knowing, in the community or just seen, made in the scholarship dynamics and border communities. It can be said that in the researched school context there are some conditions which favors works on interculturalism. Now, it needs deepening studies about relations established on borders and its impacts to the cultures valorization.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8584
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10381_Dissertação- Ângela.pdf3.33 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.