Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8597
Título: TENSÕES E CONTRADIÇÕES NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROEJA: HEGEMONIA E CONTRA-HEGEMONIA NO CONTEXTO DO PROJETO NEOLIBERAL E NEODESENVOLVIMENTISTA.
Autor(es): SILVA, M. V. T.
Orientador: LIMA, M.
Palavras-chave: PROEJA
Projeto Neoliberal
Neodesenvolvimentismo
hegemonia
Data do documento: 26-Jul-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, M. V. T., TENSÕES E CONTRADIÇÕES NA IMPLEMENTAÇÃO DO PROEJA: HEGEMONIA E CONTRA-HEGEMONIA NO CONTEXTO DO PROJETO NEOLIBERAL E NEODESENVOLVIMENTISTA.
Resumo: Este trabalho remete a um estudo acerca da implementação e institucionalização do PROEJA no Instituto Federal do Espírito Santo. Nesse sentido, busca problematizar as tensões e contradições que envolvem o processo de criação e implementação do PROEJA na rede federal, tendo em vista o papel do Estado na oferta de escolarização e de profissionalização. A pesquisa analisa a gênese do programa no governo Lula e sua continuidade no governo Dilma. Para tanto, a análise é, sobretudo política, tendo em vista o projeto neoliberal e neodesenvolvimentista. Com o intuito de propor uma discussão do objeto com base no Materialismo Histórico Dialético, entende-se que no seio da temática encontram-se inúmeras contradições baseado na relação dialética capital x trabalho. Dessa forma, realiza uma discussão do PROEJA em sua historicidade no IFES, tendo sua base legal como ponto de partida. A proposta metodológica é de natureza qualitativa, tendo o materialismo Histórico Dialético como princípio norteador, objetivando uma percepção marxista do problema. Assim, opta-se por três caminhos de análise: de forma inicial, a análise da documentação institucional do programa que inclui o marco legal e documentos relativos à sua implementação. O segundo caminho remete a uma pesquisa bibliográfica dos recentes trabalhos realizados acerca da temática. No terceiro caminho a ida a campo realiza-se entrevistas em profundidade com os sujeitos e gestores do PROEJA. Os resultados apontam para um programa que se constitui enquanto força contra-hegemônica no Instituto Federal do Espírito Santo, tendo em vista a tradição do trabalho em sua cultura escolar caracteriza-se por práticas seletivas meritocráticas e não inclusivas. Este contexto reflete diretamente na oferta escolar revelando de tensões e contradições o PROEJA.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8597
Aparece nas coleções:PPGE - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10615_DISSERTAÇÃO VERSÃO FINAL_PPGE.pdf1.31 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.