Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8762
Título: Precarização do trabalho e seus impactos na saúde do trabalhador : os professores substitutos da UFES
Autor(es): Braga, Dayeny Karyne Cordeiro Sabino
Orientador: Sartim, Maria Madalena do Nascimento
Data do documento: 24-Ago-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O objetivo desta pesquisa é analisar as formas precárias de trabalho dos professores substitutos da Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) entre os anos 2013 e 2014, e seus impactos na saúde dos mesmos, na forma de sofrimento psíquico e adoecimento. O estudo bibliográfico se deu por meio de produções científicas que se aproximem do objeto desta pesquisa, tendo como principais referências os estudos realizados nas áreas da Sociologia do Trabalho, Serviço Social e da Saúde do Trabalhador. Trata-se de uma revisão de literatura de livros, artigos, dissertações de mestrado e teses de doutorado, afetos à temática do trabalho docente nas Instituições Federais de Ensino Superior (IFES), da precarização do trabalho, da flexibilização dos direitos trabalhistas, da saúde do trabalhador com ênfase no sofrimento psíquico/adoecimento laboral e na intensificação do trabalho. A pesquisa documental se deu por meio do estudo da legislação que regulamenta o trabalho dos professores substitutos nas IFES. A pesquisa exploratória teve abordagem mista e foi realizada na Ufes. O questionário foi a técnica utilizada, cuja aplicação teve por objetivo saber dos trabalhadores a respeito de seu trabalho, suas impressões acerca da precarização refletida nos seus contratos de trabalho, jornadas, salários, no conteúdo do seu fazer profissional, nas relações sociais nas quais se inscrevem e os reflexos disso na sua saúde. Os resultados apontaram que os professores substitutos incorporam o precariado atual, que a precarização do trabalho deles implica na sua intensificação, principalmente pelo alto nível de esforço, dedicação e responsabilidade que a atividade de ensino requer, o que traz sobrecarga de trabalho e cansaço permanente. A intensificação também se manifesta pela redução do tempo de vida ao tempo de trabalho. As conclusões indicam que o sofrimento psíquico é mais frequente entre os professores substitutos do que o adoecimento. O constrangimento do tempo, a intensificação do trabalho e a solidão no trabalho são as principais causas deste sofrimento que individualiza estes trabalhadores.
This research aims to analyze the precarious forms of work of the substitute professors of the Federal University of Espírito Santo (Ufes) between the years 2013 and 2014, as well as its impact on their health, in the form of psychological suffering and illness. The bibliographical study was through scientific productions that approach the subject of this research, taking into account the main references of the studies in the areas of Labor Sociology, Social Work and Occupational Health. This work is a literature review of books, articles, dissertations and doctoral theses, pertaining to the theme of teaching in Federal Institutions of Higher Education (IFES), on the deterioration of work conditions , flexibility of labor rights, the worker’s health with emphasis on psychic suffering / labor illness and the intensification of work. The document search happened through the study of the laws governing the work of the substitute professors in the IFES. The exploratory research was performed by a mixed approach and it was held at Ufes. The questionnaire was the technique used, whose application aimed to know from the employees about their work, their impressions about their precarious employment reflected in their working contracts, hours, wages, on their the content of their professional performance, in the social relationships in which they are part not to mention its reflections on their health. The results showed that the substitute professors incorporate the current precarity and that the precarious nature of their work involves the intensification, especially the high level of effort, dedication and responsibility that the teaching activity requires, which brings workload and permanent tiredness. Besides that, work intensification is also manifested by reducing lifetime to working time. The findings indicate that psychological distress is more common among substitute professors than illnesses. The constraint of time, the intensification of work and loneliness at work are the main causes of this suffering which individualises these workers.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8762
Aparece nas coleções:PPGPS - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9239_Dayeny Karyne C. S. Braga.pdf1.74 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.