Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8771
Título: As universidades brasileiras e a indução estratégica da pesquisa : o comprometimento da autonomia científica
Autor(es): Ribeiro, Daniella Borges
Orientador: Ferraz, Ana Targina Rodrigues
Palavras-chave: Produção de conhecimentos
Política de educação superior
Política de ciência, tecnologia e inovação
scientific autonomy
Data do documento: 21-Set-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Este trabalho tem como objetivo geral analisar de que modo a direção dada à pesquisa científica no Brasil, por meio dos editais de fomento à pesquisa do CNPq, tem afetado a produção de conhecimentos nas universidades, verificando a existência ou não de um comprometimento da autonomia científica. Trata-se de uma pesquisa documental realizada a partir de dados sobre as pesquisas que obtiveram financiamento do CNPq entre os anos de 2011 e 2014. Neste período, foram divulgados 135 editais de apoio à pesquisa por esta agência de fomento, sendo submetidas 93.367 propostas e aprovadas para fins de financiamento 24.450 (26,2%). Dos 135 editais pesquisados, 105 (77,8%) exigiam a titulação de doutor para a submissão de projetos, 128 (94,8%) eram abertos às instituições privadas (com ou sem fins lucrativos) e apenas 05 editais (3,7%) eram específicos para estabelecimentos públicos. Dos 24.450 projetos de pesquisa aceitos para financiamento, 10.724 (43,9%) foram submetidos por instituições localizadas na região sudeste e 5.670 (23,2%) no sul, sendo a USP, UFRJ, UFMG, UFRGS e UNESP as universidades com o maior número de propostas aprovadas. A grande área do conhecimento que obteve o maior quantitativo de projetos aceitos foram as ciências agrárias, com a aprovação de 3.895 (15,9%) projetos. Dos 135 editais estudados, em 126 (93,3%) havia o direcionamento do tema a ser pesquisado. Consideramos que a diferenciação institucional; a diversificação das fontes de financiamento para a produção de conhecimentos (com a disseminação da ideia de que as universidades possuem autonomia para captarem recursos no mercado); a assimetria regional e a indução realizada pelo Estado quanto às áreas e os temas a serem pesquisados comprometem a autonomia científica em nosso país. A produção de conhecimentos que poderia potencializar a satisfação das necessidades dos trabalhadores brasileiros encontra-se subordinada às necessidades da produção e do mercado em sintonia com os anseios da burguesia internacional, corroborando o nosso lugar de país periférico e dependente na economia mundial.
This study aims at analyzing the way the directions given to scientific research in Brazil through CNPq (Brazilian National Council for Scientific and Technological Development) incentives has affected the production of knowledge in universities, as well as verifying whether or not scientific autonomy is compromised. This is a documental study carried out based on data about investigations funded by CNPq between 2011 and 2014. In this period, 135 calls for investigations were spread by this body, for which 93,367 proposals were submitted and 24,450 were approved for funding (26.2%). Of the 135 calls for research investigated, 105 (77.8%) required PhD degree for research submission; 128 (94.8%) were open to private institutions (for or nonprofit), and only 05 calls (3.7%) were specific for public institutions. Of the 24,450 research projects accepted for funding, 10,724 (43.9%) were submitted by institutions located in the Brazilian Southeast and 5,670 (23.2%) in the South Region, among which USP, UFRJ, UFMG, UFRGS and UNESP were the universities with most proposals approved. The wide area of knowledge that had the largest number of projects accepted was the agrarian sciences, with de 3,895 (15.9%) projects approved. Of the 135 calls for research investigated, in 126 (93.3%) the theme to be studied was provided. We understand thatinstitutional differentiation; diversification of funding sources for production of knowledge (promoting the idea that universities have autonomy to gather resources in the market); regional asymmetry and influence by the State concerning areas and themes to be studied compromise scientific autonomy in our country. The production of knowledge that could optimally meet the needs of Brazilian workers is subject to the needs of production and of the market attuned to the expectations of international bourgeoisie, which corroborates our position as peripheral country, dependent on global economy.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8771
Aparece nas coleções:PPGPS - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10314_Daniella Borges Ribeiro.pdf6.76 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.