Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8878
Título: Efeitos das Hipóteses da Teoria Positiva da Contabilidade na Qualidade da Informação Contábil
Autor(es): Queiroz, Juliana Molina
Orientador: Almeida, José Elias Feres de
Palavras-chave: Qualidade da informação contábil
Hipóteses da teoria positiva da contabilidade
Hipótese dos Planos de Compensação;
Hipótese do endividamento
Hipótese do tamanho
Data do documento: 17-Nov-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Resumo da Dissertação: Objetivou-se neste trabalho investigar quais são os efeitos das Hipóteses da Teoria Positiva da Contabilidade (TPC) na Qualidade da Informação Contábil, a qual pode ser determinada pelas medidas de relevância, tempestividade, conservadorismo condicional e gerenciamento de resultados das informações divulgadas nas Demonstrações Financeiras. A amostra foi composta de observações de empresas com liquidez de pelo menos 0,001 das ações negociadas na BM&FBOVESPA, no período de 2010 a 2014, coletadas no sistema Comdinheiro. As observações foram segregadas em grupos cujos gerentes podem sofrer influência similar dos fatores descritos nas Hipóteses TPC e foram criadas dummies para esses grupos. Com o intuito de analisar e comparar os grupos de empresas cujos gestores podem sofrer maior ou menor influência foram utilizadas duas análises de regressões em dados em painel com erros-padrão robustos e agrupamento por empresa. Primeiramente, foram rodados os modelos originais em cada grupo, separadamente. Em seguida, foram analisados os modelos com interações das dummies dos grupos com as variáveis originais dos modelos de relevância, tempestividade, conservadorismo condicional e gerenciamento de resultados. Os resultados evidenciaram que os efeitos das hipóteses da Teoria Positiva da Contabilidade nas métricas de Qualidade da Informação não são uniformes e variam conforme os controles utilizados. Contudo, é possível verificar que pode existir influência na Relevância da Informação Contábil pela Hipótese dos Planos de Incentivos e Hipótese dos Custos Políticos; na Tempestividade pela Hipótese dos Custos Políticos; no Conservadorismo Condicional pela Hipótese dos Planos de Incentivos e, no Gerenciamento de Resultados, por todas as Hipóteses da TPC analisadas neste estudo.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8878
Aparece nas coleções:PPGCON - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8962_DISSERTAÇÃO JULIANA Molina Queiroz20170217-94706.pdf2.58 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.