Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8920
Título: O roteiro turístico como prática: contribuições da perspectiva das práticas para os estudos sobre roteiros turísticos
Autor(es): Fernandes, Talita Almeida
Orientador: Silva, Alfredo Rodrigues Leite da
Data do documento: 17-Mai-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O campo dos estudos dos roteiros turísticos adota diferentes perspectivas. A presente pesquisa elaborou uma classificação referente aos estudos que articulam os roteiros turísticos e a dividiu em: (1) Roteiros turísticos como mapas prescritos; (2) Roteiros turísticos como rotas experienciais. No contexto destes estudos, o que não se observou foi a presença de pesquisas que analisem os roteiros turísticos segundo a perspectiva das práticas. A partir de tal necessidade, objetivou-se nesta dissertação compreender as práticas dos roteiros turísticos que envolvem uma agência de turismo receptivo da cidade de Vitória no Espírito Santo, com base na epistemologia das práticas segundo Theodore Schatzki. Realizou-se uma pesquisa qualitativa (CRESWELL, 2007) que utilizou como procedimento de coleta de dados: pesquisa documental (CELLARD, 2008), entrevistas informais (FONTANA; FREY, 2005) e observações participantes (MALINOWSKI, 1978). Os sujeitos de pesquisa foram os humanos turísticos e não-turísticos, assim como os materiais que suportam as ações dos humanos. O tratamento dos dados ocorreu a partir de temas definidos a posteriori (KRIPPENDORFF, 2004) por meio do procedimento da análise em espiral proposto por Creswell (2012). Os resultados indicaram que a dinâmica do roteiro como prática ocorre durante toda a prática do roteiro, não apenas antes durante a visitação aos pontos turísticos. Esta dinâmica é resultado das interações entre humanos e materiais, sejam eles turísticos ou não-turísticos que, a partir dos elementos que organizam as práticas, podem ser transformados de não-turísticos para turísticos e promover alterações em toda a configuração da rede de práticas. A pesquisa também revelou que o elemento tempo transforma as vivências e significados dos espaços. Ficou evidente que durante a prática do roteiro humanos e materiais se transformaram em elementos turísticos, surgindo uma relação que só existe durante o roteiro como prática. Ademais, a pesquisa revelou que o roteiro como prática apresenta compartilhamentos que permitem lidar com o não compartilhamento, ao mesmo tempo em que propicia que ele ocorra. Espera-se, com esta pesquisa, contribuir para o desenvolvimento teórico-empírico de abordagens capazes de analisar a complexidade do setor turístico (BISPO, 2016). Foram discutidas sugestões para futuras pesquisas. Palavras-chave: Teoria da Prática. Epistemologia de Schatzki. Turismo como Prática. Roteiros turísticos. Roteiro como Prática.
The field of study of tourist routes adopts different perspectives. The present research elaborated a classification referring to the studies that articulate the tourist routes and divided it into: (1) Tourist routes as prescribed maps; (2) Tourist routes as experiential routes. The context of these studies did not reveal the presence of research that analyzes the tourist routes according to the practices perspective. From this need, the aim of this research was to understand the practices of the tourist routes that involve a receptive tourism agency of the city of Vitória, in Espírito Santo, Brazil, based on the epistemology of practices according to Theodore Schatzki. A qualitative research was accomplished. It has used as a data collection procedure: documentary research (CELLARD, 2008), informal interviews (FONTANA; FREY, 2005) and participant observations (MALINOWSKI, 1978). The subjects of the research were touristics and non-touristics human, as well as the materials that support human actions. Data treatment occurred from themes defined a posteriori (KRIPPENDORFF, 2004) through the spiral analysis procedure proposed by Creswell (2012). The results indicate that the "tourist route as practice" dynamics occurs throughout the practice of the route, not just before during the visit to the tourist spots. This dynamic is a result of interactions between humans and materials, be they tourist or non-tourist, who, from the elements that organize the practices, can be transformed from non-tourist to tourist and promote changes throughout the network configuration practices. Furthermore, this research also reveals that the time element transforms the experiences and meanings of spaces. It became clear that during the tourist route practice the human and material became tourist elements, a relationship that only existed during the "tourist route as practice". Moreover, the research revealed that the "tourist route as practice" presents shares that allow to deal with non-sharing, while allowing it to occur. With this research is expected to contribute to the theoretical-empirical development of approaches capable of analyzing the complexity of the tourism sector (BISPO, 2016). At the end, some alternative for further research were discussed.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8920
Aparece nas coleções:PPGADM - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12277_Dissert final Talita Almeida Fernandes.pdf1.96 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.