Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8939
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorJunquilho, Gelson Silva-
dc.date.accessioned2018-08-01T23:40:31Z-
dc.date.available2018-08-01-
dc.date.available2018-08-01T23:40:31Z-
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/8939-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleCultura em organizações : um estudo de caso sobre o discurso corporativopor
dc.typemasterThesisen
dc.subject.udc65-
dc.subject.br-rjbnComportamento organizacional.por
dc.subject.br-rjbnCultura organizacional.por
dc.subject.br-rjbnOrganização.por
dcterms.abstractVisa ampliar a compreensão e a discussão sobre as propostas relacionadas com a construção de uma cultura corporativa. Destaca-se a existência de diferentes conceitos de cultura dentro da Antropologia e em estudos que desses conceitos se utilizam no contexto das organizações. Dentre esses estudos, são tratados os que se relacionam com a proposta funcionalista, que envolve a chamada cultura corporativa, bem como algumas alternativas a essa proposta, dividindo a discussão em duas perspectivas distintas: a) na ênfase funcionalista, a cultura seria previsível, relacionada com interesses corporativos, ora como fator dependente da organização, em um nível microssocial, ora como fator dependente de aspectos das culturas nacionais, em um nível macrossocial; b) na alternativa ao funcionalismo, a atenção se volta para a interpretação, para a subjetividade humana, para os simbolismos e significações com base nas construções e reconstruções sociais e nas relações de poder, em uma visão mais complexa das relações humanas. Apresentam-se, então, perspectivas teórico-metodológicas que surgem dessa diversidade e que compreendem diferentes abordagens de estudos sobre cultura em organizações. A partir desse referencial teórico, adota-se a investigação da perspectiva da integração para propor a análise e a descrição da tentativa de construção de uma cultura corporativa em uma diretoria Regional da Empresa Brasileira de Correios e telégrafos, a partir das práticas de gestão de pessoas incorporadas e transmitidas pelos seus níveis gerenciais, no período de 1988 a 2001. Por fim, identificam-se construções de compartilhamentos, a partir de ações e intenções organizacionais e, também, por iniciativa dos atores, por meio da subjetividade humana. Evidencia-se, então, um distanciamento do que poderia ser chamado de construção de uma cultura corporativa, assim como a aproximação de algo mais complexo e heterogêneo, em que as subculturas, ao invés de disfunções, são a realidade.por
dcterms.creatorSilva, Alfredo Rodrigues Leite da-
dcterms.formattextpor
dcterms.issued2003-01-31-
dcterms.languageporpor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Administraçãopor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.subject.cnpqAdministração-
dc.publisher.courseMestrado em Administraçãopor
dc.contributor.refereeBehr, Ricardo Roberto-
dc.contributor.refereeCarrieri, Alexandre de Pádua-
Aparece nas coleções:PPGADM - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_502_Dissertação - Cultura em organizações.pdf576.32 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.