Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8996
Título: OFÍCIO DE GUINCHEIRO: ANÁLISE DA ATIVIDADE DOS OPERADORES DE GUINDASTE DE BORDO NO COMPLEXO PORTUÁRIO DO ESPÍRITO SANTO
Autor(es): SILVA, G. R.
Orientador: GOMES, R. S.
Coorientador: ALMEIDA, U. R.
Data do documento: 26-Ago-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SILVA, G. R., OFÍCIO DE GUINCHEIRO: ANÁLISE DA ATIVIDADE DOS OPERADORES DE GUINDASTE DE BORDO NO COMPLEXO PORTUÁRIO DO ESPÍRITO SANTO
Resumo: Esta pesquisa-embarcação teve como objetivo colocar em análise a atividade do guincheiro, operadores de guindaste de bordo, no complexo portuário do Espírito Santo, com o intuído de lançar um olhar crítico acerca dos processos de trabalho no porto, de modo a perceber as especificidades desta atividade a partir da relação direta com o ofício. Os principais intercessores teóricos convocados a fomentarem as análises foram: Yves Clot; Yves Schwartz; Marcelle Duc; Louis Durrive e Christophe Dejours, bem como as contribuições de Michael Foucault. Utilizou-se como estratégia metodológica para a produção de dados a técnica da Instrução ao Sósia, a constituição de um grupo de análise do trabalho, este último serviu como meio de compartilhamento de experiências coletivas sobre os processos de trabalho do guincheiro, e uma entrevista individual com um trabalhador novato. Todos os encontros foram gravados e transcritos. As questões levantadas nesta travessia envolveram os temas: a) formação/treinamento do guincheiro; b) a entrada de novos trabalhadores nessa função; c) a organização do trabalho portuário e; d) a produtividade e segurança dos trabalhadores. Percebeu-se, com as análises, que em meio à uma organização do trabalho abalizada por uma forte pressão por produtividade decorrente do processo de modernização, há a produção de um corpo sensível no trabalho do guincheiro que surge como árbitro fundamental das escolhas que eles fazem e que é mobilizado para lidar com os dilemas vividos em situação real de trabalho. Além disso, a atividade do guincheiro é atravessada por um intenso entrosamento coletivo durante a operação que, pautado em uma relação de confiança, sintonia e cuidado com a vida, contribui para a realização do trabalho e para a manutenção da segurança.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/8996
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10301_Gustavo Roberto.pdf1.71 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.