Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9024
Título: UMA TESSITURA ENTRE SABERES E PRÁTICAS: RABISCOS SOBRE O ESTIGMA, A PRODUÇÃO DE CUIDADO E A FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE NA ATENÇÃO AO SUICÍDIO
Autor(es): XAVIER, D. A.
Orientador: LEAO, A.
Data do documento: 26-Mar-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: XAVIER, D. A., UMA TESSITURA ENTRE SABERES E PRÁTICAS: RABISCOS SOBRE O ESTIGMA, A PRODUÇÃO DE CUIDADO E A FORMAÇÃO DOS PROFISSIONAIS DA SAÚDE NA ATENÇÃO AO SUICÍDIO
Resumo: Objetiva-se analisar as capacitações oferecidas aos profissionais de Saúde sobre a efetivação do cuidado às pessoas que vivem questões relacionadas ao suicídio. A ênfase está no campo das políticas públicas estabelecidas no Brasil. A pesquisa desenvolve-se por revisão narrativa de literatura, com o seguinte corpus de análise:periódicos científicos publicados nas principais bases de dados eletrônicas da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), como Medline e Lilacs; periódicos do portal da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES); textos acadêmicos da Biblioteca Digital Brasileira de Teses e Dissertações (BDTD); livros, dissertações, publicações governamentais e outras referências citadas nos trabalhos, em articulação com a trajetória profissional do pesquisador numa análise de implicação. A utilização dos dados se deu a partir da modalidade de análise temática. As categorias tratadas no estudo são: estigma e tabu, produção do cuidado, prevenção do suicídio e formação profissional. O diálogo com a produção acerca do tema ocorreu pelo eixo da Micropolítica do Trabalho Vivo em Ato, especialmente com o teórico Merhy (2003; 2011), que emprega conceitos da cartografia e da esquizoanálise. Constatou-se que o perfil da formação do profissional da Saúde interfere diretamente na produção do cuidado dispensado às pessoas com comportamento suicida, incluindo a estigmatização. O fortalecimento e a efetivação dos princípios e diretrizes das políticas de Saúde, incluindo uma política para a prevenção ao suicídio, é um desafio aos profissionais e gestores, na medida em que há uma fragmentação entre a identificação das reais necessidades em saúde e o intuito de elaborar estratégias que produzam saúde integral. Nesse contexto, a qualificação e o comprometimento dos profissionais de Saúde se tornam mais que uma estratégia, uma atitude diante da vida. As formações específicas sobre o tema suicídio podem ser realizadas, com a garantia de educação permanente como estratégia de promoção e prevenção inseridas no cotidiano dos profissionais. Palavras-chave: Prevenção do suicídio. Formação do profissional de Saúde. Produção do cuidado. Estigma.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9024
Aparece nas coleções:PPGPSI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11929_DANIELLY ABREU XAVIER.pdf1.18 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.