Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9031
Título: Práticas sociais de profissionais da Atenção Primária à Saúde em atendimentos grupais.
Autor(es): CANTARELA, L.
Orientador: SOUZA, L. G. S.
Palavras-chave: prática social
atendimento grupal
Promoção da Saúde
Atenç
Data do documento: 26-Mar-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CANTARELA, L., Práticas sociais de profissionais da Atenção Primária à Saúde em atendimentos grupais.
Resumo: Luana, C. (2018). Práticas sociais de profissionais da atenção primária à saúde em atendimentos grupais. Dissertação de Mestrado. Programa de Pós-Graduação em Psicologia. Universidade Federal do Espírito Santo. Vitória, Espírito Santo. A pesquisa relatada buscou analisar práticas sociais de profissionais de saúde da Atenção Primária à Saúde em atividade de coordenação de atendimentos em grupo em Unidade de Saúde. Foram realizados dois estudos. O primeiro apresenta resultados obtidos por meio de entrevistas semiestruturadas com sete profissionais, analisadas através da Análise de Conteúdo Temática. Foram identificados 139 temas e 19 categorias. Observa-se, no discurso produzido pelos profissionais, elementos sobre elaboração, execução e avaliação dos atendimentos em grupos que vão ao encontro das diretrizes do Sistema Único de Saúde e pontos que se afastam do que é preconizado por teorias em psicologia de grupo e pelas políticas de saúde. O segundo estudo mostra resultados obtidos através de dezoito sessões de observação participante de seis atendimentos em grupo, de três Unidades de Saúde. Foi empregada a Análise de Conteúdo Temática e os grupos foram inseridos em três categorias: 1) Atividades manuais como favoráveis à promoção da saúde; 2) Grupo como espaço de orientações e organização de demanda; 3) Grupo como espaço de escuta e expressão. Observou-se, a presença de práticas de orientação normativa em saúde, o 8 predomínio do modo aula na condução dos grupos pelos profissionais, tendo os grupos se aproximado do modelo restrito-biológico. Apenas um grupo indicou maior abertura para escuta e expressão dos usuários. Foi possível observar que enquanto o discurso dos profissionais se aproximava das orientações sobre condução de grupos das políticas de saúde, em suas práticas, os profissionais tendiam a adotar comportamentos que se afastavam de tais orientações.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9031
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10285_Versão capa dura dissertação Luana.pdf920.65 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.