Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9044
Título: Nos caminhos da roça: representações sociais e processos identitários entre jovens rurais do estado do Espírito Santo.
Autor(es): Epifanio, Paola Zanotti
Orientador: Bonomo, Mariana
Palavras-chave: Gênero
Identidade social
Jovens rurais
Psicologia social
Data do documento: 29-Jun-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O Brasil é um país reconhecidamente agrário, todavia, na atualidade, a categoria camponesa está relacionada a representações embasadas em estereótipos geradores de preconceitos e consequente exclusão social deste grupo social. A sociabilidade urbana, valorada de forma positiva, passa a ser assumida como modo de vida de referência aos grupos sociais, e a divergência grupal atua de modo a aumentar a cisão psicossocial entre cidade e campo. A partir da articulação entre a Teoria das Representações Sociais e a Teoria da Identidade Social, buscou-se investigar o fenômeno da identidade social no contexto sociocultural rural, a partir da análise dos processos identitários e representacionais vinculados às categorias sócio-territoriais (ruralidade/urbanidade) e de gênero (masculinidade/feminilidade), entre homens e mulheres de segmento juvenil de áreas rurais do estado do Espírito Santo. A pesquisa foi desenvolvida por meio de quatro estudos complementares: (E1) estudo que buscou identificar a razão de masculinidade do campo no estado do Espírito Santo a partir de dados do Datasus referentes aos censos de 1980, 1991, 2000 e 2010 para população com idades entre 15 e 24 anos; (E2) que objetivou analisar os processos identitários vinculados à categoria social juventude rural, entre jovens rurais do estado do Espírito Santo com idades entre 15 e 24 anos, a partir da comparação campo-cidade e da avaliação de projeto de vida e futuro; (E3) que visou investigar as representações sociais de mulher rural e homem rural entre jovens rurais, com idades entre 15 e 24 anos, estudantes de escolas rurais do estado do Espírito Santo; e (E4) que analisou as relações de gênero e a dinâmica do mundo do trabalho entre jovens camponeses que constituíram núcleos familiares em áreas rurais do estado do Espírito Santo, com maiores índices de masculinização (Boa Esperança e São José do calçado) e de feminização (Mantenópolis e Piúma) do campo. Considerando-se a natureza dos dados e os objetivos de cada estudo, utilizou-se no tratamento das informações coletadas: (E1) o cálculo de razão de masculinidade, e os programas computacionais TabWin32 e Microsoft Excel 2007; (E2) a Análise de Conteúdo; (E3) o software SPAD-T, através do qual foi obtida análise fatorial de correspondência e formação de clusters; e (E4) o software ALCESTE, que forneceu a Classificação Hierárquica Descendente e a Análise Fatorial de Correspondência. Os resultados encontrados demonstraram que os sujeitos buscam romper com os estereótipos negativos direcionados ao ser rural, e visam enaltecer os valores e a coerência positiva da identidade rural. O trabalho rural é central e constitui-se como importante elemento identitário, uma vez que nutre o sujeito campesino de valores e afetos positivos, mesmo diante da realidade dura a que está condicionado. As análises também apontam que o jovem camponês busca a mudança social, ressignificando as estereotipias atribuídas ao rural e reivindicando melhorias necessárias no campo. Conclui-se, portanto, que o contexto rural, a partir da análise dos últimos 30 anos, reflete constantes mudanças estruturais e demográficas que são fortemente influenciadas pelas relações laborais e de gênero estabelecidas. Palavras chave: gênero, identidade social, jovens rurais, psicologia social, representações sociais, ruralidade
Brazil is a country admittedly agrarian. However, farmers today are related to representations based on prejudice-generating stereotypes and consequent social exclusion of this group. Urban sociability, which is positively valued, has eventually become a referential way of life for social groups, and group divergence actuates so as to increase psychosocial split between the city and the countryside. Based on articulation between the Social Representation Theory and the Theory of Social Identity, this study aims to investigate the phenomenon of social identity in the rural sociocultural setting by analyzing identity and representational processes linked to social-territorial (rurality/urbanity) and gender (masculinity/femininity) categories among juvenile men and women in rural areas of the State of Espírito Santo, Brazil. The investigation was carried out through four complementary studies: Study 1 (S1) aimed to identify the ratio of masculinity in the countryside of the State of Espírito Santo from Datasus data referring to censuses of 1980, 1991, 2000 and 2010 for populations aged between 15 and 24; (S2) aimed to analyze identity processes linked to rural social youth among young people in the State of Espírito Santo aged between 15 and 24 by comparing country and city and by assessing life project and future; (S3) aimed to investigate the social representations of rural young women and rural young men aged between 15 and 24, who attend rural school in the State of Espírito Santo; and (S4) analyzed the gender relationships and the dynamics of the labor world among young farmers who established family nuclei in rural areas in the State of Espírito Santo, with higher rates of masculinization (Boa Esperança and São José do Calçado) and feminization (Mantenópolis and Piúma) in the countryside. Considering the nature of the data and the objectives of each study, the following treatment was employed for the information gathered: (S1), calculation of masculinity ratio and computer software TabWin32 and Microsoft Excel 2007; (S2), Content Analysis; (S3), software program SPAD-T, through which factorial correspondence analysis and cluster formation were achieved; and (S4), software program ALCESTE, which provided Descendant Hierarchical Classification and Correspondence Factorial Analysis. The results found showed that subjects seek to break through negative stereotypes addressing the rural person and to highlight the values and positive coherence of the rural identity. Rural labor is central and constitutes an important identity element because it provides farmers with positive values and affect, even in face of the hard reality to which they are subject. Analyses also point out that the young farmer seeks social change by attributing new meaning to stereotypes about rural life and by claiming for the necessary improvement in the countryside. In conclusion, the rural setting has shown constant structural and demographical changes in the past 30 years, which have been strongly influenced by the labor and gender relations established.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9044
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_8390_DISSERTAÇÃO_PAOLA ZANOTTI_VERSÃO FINAL OFICIAL.pdf1.07 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.