Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9060
Título: Autoconsciência privada, autorreflexão e insight como reguladores do consumo de álcool entre jovens e adultos
Autor(es): Leal, Cristyan Karla Nogueira,
Orientador: Souza, Mariane Lima de
Data do documento: 1-Jun-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O álcool é a droga lícita mais consumida no Brasil, cujo abuso, principalmente entre jovens, tem potencializado a ocorrência de danos e prejuízos para indivíduos e sociedade, configurando um problema social. Fatores ambientais e individuais podem agir nos indivíduos de forma protetiva ou tornando-os mais vulneráveis ao consumo prejudicial e às consequências, direta ou indiretamente, a ele associadas. Entre os fatores individuais, a autoconsciência privada enquanto tendência ou disposição humana de focar a atenção nos próprios pensamentos, sentimentos e comportamentos pode constituir uma capacidade metacognitiva relevante no processo de regulação comportamental. Com o intuito de mensurar essa capacidade, a Escala de Autorreflexão e Insight (EAI), instrumento de avaliação psicológica, afere duas dimensões da autoconsciência privada, a autorreflexão e o insight. Enquanto a primeira dimensão avalia a habilidade reflexiva e de automonitoramento dos indivíduos, a segunda explora o entendimento claro do que se sente e vivencia e das razões para comportar-se de determinado modo. No contexto brasileiro, apesar de o consumo de álcool ser um fenômeno sociocultural importante e extensamente investigado, ainda não se encontravam dados publicados que explorassem a sua relação com a autorreflexão e o insight. Considerando essa janela investigativa, esta dissertação se organizou e apresenta seus principais resultados em dois artigos científicos. O primeiro deles refere uma revisão sistemática de estudos empíricos que aplicaram a EAI, publicados entre 2002 e 2017, recuperados a partir das bases de dados disponíveis no Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). De modo prevalente, os estudos verificaram que o insight associou-se a reações emocionais, cognitivas e comportamentais saudáveis e adaptativas, e a autorreflexão mostrou-se inconstante, relacionando-se a reações ora benéficas, ora prejudiciais ao desempenho cognitivo, ao bem-estar físico e psicológico, e às interações sociais dos indivíduos. Os dados levantados indicaram que a autorreflexividade dispara o ciclo de autorregulação, mas o insight é fundamental para o seu progresso equilibrado. O segundo artigo reporta os resultados de um estudo de abordagem quantitativa conduzido com jovens e adultos de 20 a 39 anos, escolhidos como população-alvo por integrarem as faixas etárias mais propensas ao consumo abusivo e à adoção de comportamentos de risco, segundo estatísticas. Participaram 523 brasileiros, com cursos de graduação e/ou pós-graduação, que responderam, além da EAI, o teste AUDIT para verificação de padrões de ingestão de bebida alcoólica. Os resultados mostraram que mulheres apresentam níveis mais elevados de autorreflexão, enquanto homens, de insight. No que se refere ao consumo de álcool, homens relataram beber mais frequentemente e de maneira mais intensa do que mulheres. A autorreflexão e o insight apresentaram correlação negativa estatisticamente significativa com o consumo de álcool indicando que, também nesse contexto, podem atuar como reguladores do comportamento. Diferenças quanto à intensidade da correlação entre as variáveis investigadas nos participantes agrupados por gênero e faixas etárias e a possível influência de fatores ambientais que enfraqueceriam ou modificariam essa correlação foram discutidas.
Alcohol is the most consumed licit drug in Brazil. Particularly in relation to young people, there are strong correlations between abusive alcohol consumption patterns and the increase of damage and loss which is being experienced as a social problem. Environmental and individual factors may have a protective influence on people or alternatively increase their vulnerability to harmful consumption and consequences directly or indirectly associated with alcohol abuse. Among individual factors, private self-consciousness as a human tendency or willingness to focus attention on one's own thoughts, feelings, and behaviours may constitute a relevant metacognitive capacity in the process of behavioural regulation. In order to measure this capacity, the Self-Reflection and Insight Scale (SRIS), an instrument of psychological assessment, quantifies two dimensions of private self-consciousness, namely, self-reflection and insight. While the first dimension assesses individuals' self-reflective and self-monitoring ability, the second evaluates a clear understanding about feelings, experiences or reasons for behaving in a certain way. In the Brazilian context, although alcohol consumption is an important and widely investigated sociocultural phenomenon, there was still no published data exploring its relationship with private self-consciousness, self-reflection and insight. This dissertation was developed to address this gap and presents its main results in two scientific papers. The first one refers to a systematic review of empirical studies that applied the SRIS, published between 2002 and 2017, and retrieved from the databases available in the Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES). The prevailing findings indicated that insight was associated with healthy and adaptive emotional, cognitive and behavioural reactions, and self-reflection proved to be inconsistent, relating to reactions that sometimes are beneficial or sometimes detrimental to cognitive performance, physical and psychological well-being and social interactions. Data indicated that selfreflection triggers the cycle of self-regulation, but insight is critical to its balanced progress. The second paper reports the results of a survey that was conducted with young people and adults, aged 20 to 39 years, as this cohort has rated highly in relation to abusive alcohol consumption and risky behaviours. A total of 523 Brazilians, who either completed or are in the process of completing undergraduate and/or postgraduate courses, participated by responding the SRIS Scale and the AUDIT test (for verifying drinking patterns). Data was processed using the Pearson Product-Moment Correlation, Student T-Test and One-Way ANOVA statistical tests. The results showed that women presented higher levels of selfreflection, whereas men presented higher levels of insight. With regard to alcohol consumption, men were found to drink with a greater frequency and intensity in comparison to women. Selfreflection and insight presented negative significant correlation with alcohol consumption, indicating that, also in this context, they can act as behaviour regulators. Differences in the intensity of correlation among the investigated variables in participants grouped by gender and age and the possible influence of environmental factors that would weaken or modify this relationship were discussed.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9060
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9544_Leal, CKN_2017_Dissertacao_Autoconsciencia_Consumo-alcool.pdf736.85 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.