Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9067
Registro completo de metadados
Campo DCValorIdioma
dc.contributor.advisorMenandro, M.C.S.
dc.date.accessioned2018-08-01T23:41:50Z-
dc.date.available2018-08-01
dc.date.available2018-08-01T23:41:50Z-
dc.identifier.citationLIMA, F. G., É quase um grito de socorro quando um adolescente chega a cometer um crime: adolescentes autores de atos infracionais para jovens de classe popularpor
dc.identifier.urihttp://repositorio.ufes.br/handle/10/9067-
dc.publisherUniversidade Federal do Espírito Santopor
dc.titleÉ quase um grito de socorro quando um adolescente chega a cometer um crime: adolescentes autores de atos infracionais para jovens de classe popularpor
dc.typemasterThesisen
dc.contributor.memberTRINDADE, Z. A.
dc.contributor.memberCOUCEIRO, P. R. C.
dc.contributor.memberSAQUETTO, D.
dc.contributor.memberROSA, E. M.
dcterms.abstractO presente trabalho apresenta como objetivo identificar e descrever as representações sociais que jovens de classe popular constroem sobre adolescentes autores de atos infracionais. Dentro do escopo da Psicologia Social utilizamos como principal alicerce para o desenvolvimento desta pesquisa a Teoria das Representações Sociais, que auxilio uma compreensão de como os jovens pensam e percebem estes adolescentes. Para tanto, foi realizado um estudo descritivo e exploratório de natureza qualitativa. Foram selecionados como participantes, 20jovens com idades entre 18 e 24anos matriculados em 2 cursos populares preparatórios para vestibular da Grande Vitória, à seleção dos participantes se deu por conveniência e acessibilidade. O instrumento para coleta de dados teve por base entrevistas individuais a partir de um questionário estruturado com questões abertas. Para análise dos dados utilizamos o método fenomenológico para investigação psicológica. Embora elementos diversificados estivessem presentes nas representações dos entrevistados do adolescente que comete ato infracional, todas as variações encontradas estavam ancoradas na pobreza; todos os elementos estavam diretos ou indiretamente relacionados à pobreza ou às suas consequências. Tendo por base a definição de representação enquanto princípio gerador de tomada de posição e fazendo um paralelo com os resultados encontrados neste trabalho, podemos supor que os entrevistados buscavam através da prática de estudar alcançar a superação do estado de pobreza, visando a extinção ou a redução das possibilidades de fazer parte do grupo dos adolescentes que comete mato infracional, promovendo uma maior diferenciação categorial.por
dcterms.creatorLIMA, F. G.
dcterms.formatapplication/pdfpor
dcterms.issued2017-08-18
dcterms.subjectPsicologia Socialpor
dcterms.subjectJuventudepor
dcterms.subjectTeoria das Representações Socipor
dc.publisher.countryBRpor
dc.publisher.programPrograma de Pós-Graduação em Psicologiapor
dc.publisher.initialsUFESpor
dc.publisher.courseMestrado em Psicologiapor
Aparece nas coleções:PPGP - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_9885_Dissertação fernanda.pdf1.29 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.