Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9091
Título: Proposta de Intervenção na Mediação de Mães de Crianças com Síndrome de Down
Autor(es): Reis, Luciana Bicalho
Orientador: Paula, Kely Maria Pereira de
Data do documento: 23-Set-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: REIS, Luciana Bicalho. Proposta de intervenção na mediação de mães de crianças com síndrome de Down. 2015. 296 f. Tese (Doutorado em Psicologia) - Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Ciências Humanas e Naturais, Vitoria, 2015.
Resumo: A mediação materna é importante para o desenvolvimento infantil e o padrão mediacional adotado poderá ser afetado por fatores de natureza cognitiva ou emocional. Este estudo avaliou e comparou o padrão de mediação em mães de crianças com Síndrome de Down, antes e após proposta de intervenção sobre mediação, descrevendo variáveis como estresse, ansiedade, depressão, estratégias de enfrentamento da deficiência, e crenças e expectativas acerca do desenvolvimento da criança. Participaram nove mães e seus filhos, de 2 a 5 anos (M=3,9 anos). A coleta foi conduzida em etapas: na primeira foram aplicados questionário sociodemográfico, Child Behavior Checklist [CBCL 1½/5 anos], Entrevista para identificação de Crenças e Expectativas, Escalas Beck ansiedade e depressão, Inventário de Sintomas de Stress para adultos de Lipp (ISSL) e Entrevista de Avaliação do Enfrentamento. Na segunda etapa as díades foram filmadas em três situações livre e semiestruturadas, sendo avaliadas pela Escala de Aprendizagem Mediada (MLE Rate Scale). Na terceira etapa, com subamostra de seis participantes, realizou-se uma Proposta de Intervenção em Mediação Materna, baseada no MISC - Mediational Intervention for Sensitizing Caregivers, com seis critérios - Intencionalidade, Significação, Transcendência, Regulação do comportamento, Elogio e Envolvimento afetivo, organizado em três oficinas. Na quarta etapa as díades foram filmadas após intervenção (20 dias e 3 meses). A análise das entrevistas indicou que a maioria das mães (n=7) reagiu ao diagnóstico com 13 sentimentos negativos, superando-os com o passar do tempo (n=6). Houve predomínio (n=8) de expectativas positivas em relação ao desenvolvimento e as crenças em torno do momento do diagnóstico, em geral, tinham caráter religioso. Na avaliação pelas escalas Beck e ISSL, três mães apresentaram ansiedade em nível leve e uma em nível moderado; duas com estresse em fase de resistência (predomínio de sintomas psicológicos). Os estressores relatados foram preconceito/exclusão social, rotina de atendimentos, além dos problemas de comportamento, desenvolvimento e saúde da criança. Na avaliação das estratégias de enfrentamento, encontrou-se predominância das famílias adaptativas positivas, Autoconfiança (n=8), Busca de Suporte (n=7), Resolução de Problema (n=7), Busca de Informação (n=7), Acomodação (n=6) e Negociação (n=1), em comparação às mal adaptativas, como Fuga (n=3), Isolamento (n=2), Submissão (n=2) e Desemparo (n=1). Encontrou-se diferença estatisticamente significativa entre as médias do padrão mediacional obtidas na pré-intervenção (2,0) e pós-intervenção (2,5) (Teste Wilcoxon, p≤0,001). Dos seis critérios de mediação, cinco melhoraram nas sessões de segmento, sendo transcendência o que obteve maior Taxa de Ganho (TG 78%). As mães apresentaram bom padrão de mediação, associada a expectativas positivas do desenvolvimento infantil e maior repertório de estratégias de enfrentamento adaptativas à deficiência e seus estressores. Ainda assim, a intervenção contribuiu para melhorar a qualidade da mediação, sendo bem avaliada pelas participantes. Conclui-se que intervenções breves e sistematizadas podem ajudar as mães a identificar oportunidades de mediação do desenvolvimento da criança, contribuindo também para o enfrentamento da deficiência. 14 Palavras-chave: Mediação Materna; Crenças; Enfrentamento; Síndrome de Down; Intervenção Psicológica.
Maternal mediation is an important factor in child development and the standard meditational adopted may be affected by different factors of cognitive or emotional nature. This study evaluated and compared the standard of mediation in mothers of children with Down syndrome, before and after an intervention program on mediation, describing the variables such as stress, anxiety, depression, coping strategies, and beliefs and expectations regarding child development. The sample consisted of nine mothers and their children, 2-5 years (M = 3.9 years). The collection was conducted in stages: in the first were applied sociodemographic questionnaire, Child Behavior Checklist [CBCL 1½ / 5 years] Interview to identify Beliefs and Expectations, Scales Beck anxiety and depression, Inventories of Stress Symptoms for adults Lipp (ISSL) and Coping Assessment Interview. In the second stage, the dyads were videotaped during three free and semi structured situations and evaluated by the Mediated Learning Scale (MLE Rate Scale). In the third stage, with subsample of six participants, it was applied a proposal for intervention in Maternal Mediation, based on MISC - Mediational Intervention for Sensitizing Caregivers with six criteria - Intentionality, Meaning, Transcendence, Behavior Regulation, Praise and Emotional involvement, organized in three workshops. In the fourth stage the dyads were videotaped after intervention at (20 days and 3 months). The data analysis showed that the majority of mothers (n=7) responded to diagnosis with negative feelings, but overcoming them over time. There were predominated (n=8) of positive expectations regarding the development; beliefs around the time of diagnosis, overall had religious character. In the evaluation by the scales Beck and ISSL, three mothers had mild level anxiety and one in moderate level; two with stress resistance phase (prevalence of psychological symptoms). Reported stressors were prejudice/social exclusion, routine appointments, in addition to behavioral problems, development and health of children. In the evaluation of coping strategies, the group predominantly adopted positive adaptive families, Self-confidence (n=8) Support Seeking (n=7), Problem Solving (n=7), Information Seeking (n=7), Accommodation (n=6) and Negotiation (n=1) compared to maladaptive, Avoidance (n=3), Isolation (n=2), Submission (n = 2) and Abandonment (n=1). It was found a significant difference between the means of mediational pattern obtained in the pre-intervention (2.0) and post-intervention (2.5) (Wilcoxon test, p≤0,001). Of the six criteria of mediation, five improved in the segment sessions, with transcendence the one which obtained the highest Gain Rate (TG 78%). Mothers presented a good standard of mediation, in association with positive expectations of child development and greater repertoire of adaptive coping strategies of the diagnosis of disability and its stressors. Even so, the intervention helped to improve the quality of mediation between dyads, being thoroughly evaluated by participants. As a result, it is believed that brief and systematized interventions that enable mothers the feeling of competence in their ability as a mediator can help them identify opportunities for mediation of child development, also contributing to the maternal face of disability.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9091
Aparece nas coleções:PPGP - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_5914_TESE Luciana Bicalho Reis - Proposta de Intervenção na Mediação de Mães de Crianças com SD.pdf4.78 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.