Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9166
Título: Apropriações do bovarismo na crítica acadêmica brasileira
Autor(es): Camila Dalvi
Orientador: ALMEIDA, J. C.
Palavras-chave: Bovarismo
 Jules  de  Gualtier
 Apropriações
 Leitura  e
Data do documento: 28-Set-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: Camila Dalvi, Apropriações do bovarismo na crítica acadêmica brasileira
Resumo: O trabalho analisa apropriações do conceito de bovarismo por uma comunidade interpretativa específica do Brasil: a crítica acadêmica. Para tanto, o historiador Roger Chartier, em seus conceitos de apropriações e comunidades interpretativas, será ponto importante. Na primeira parte da tese, composta por três capítulos, após uma discussão sobre Gustave Flaubert, sua política literária e Madame Bovary (1857), faz-se um percurso do que seria o bovarismo como noção e, a seguir, com o amparo de Delueze e Guattari, como conceito filosófico, tendo sido primeiramente cunhado por Jules de Gaultier. Examina-se também a recepção do conceito e da filosofia gaultieriana na comunidade interpretativa francesa a partir de estudiosos como Delphine Jayot, Per Buvik e Didier Philippot. Na segunda parte da tese, forma-se um corpus de análise, inspirado no arquivo de Michel Foucault, composto por teses e dissertações de estudiosos brasileiros e disponibilizadas em domínios virtuais para se analisarem, quantitativa e qualitativamente, as ocorrências dispersivas do termo. Dessa varredura exaustiva, depuram-se três troncos significativos básicos para o conceito de bovarismo na comunidade interpretativa acadêmica brasileira a serem detalhadamente discutidos e inter-relacionados.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9166
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10286_TESE CAMILA DAVID DALVI.pdf1.85 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.