Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9177
Título: O DISCURSO CONSTITUINTE COMO DETERMINANTE NO USO DE TÓPOI E ARGUMENTOS RETÓRICOS NA CONSTRUÇÃO DAS EPÍSTOLAS DE SÊNECA E PAULO
Autor(es): SANTOS, Z. A. L. dos
Orientador: LEITE, L. R.
Data do documento: 29-Set-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: SANTOS, Z. A. L. dos, O DISCURSO CONSTITUINTE COMO DETERMINANTE NO USO DE TÓPOI E ARGUMENTOS RETÓRICOS NA CONSTRUÇÃO DAS EPÍSTOLAS DE SÊNECA E PAULO
Resumo: Esta pesquisa foi elaborada a partir da construção de um paralelo entre a produção das epístolas de Sêneca e de Paulo, durante o primeiro século de nossa era. O discurso constituinte é o elemento determinante na forma de condução da trajetória do gênero epistolar. Sêneca se direciona pelos caminhos do discurso filosófico, enquanto Paulo respalda seu texto com base no discurso religioso. Como ponto de partida, conta-se com o apoio de Foucault em suas investigações sobre a escrita de si como um ingrediente na receita do cuidado de si, na Antiguidade. Nota-se que a epistolografia exerce um papel fundamental naquele momento histórico, funcionando não somente como meio de comunicação entre remetente e destinatário, mas também como uma forma de exposição da subjetividade que se revela pela aquisição dos discursos verdadeiros. Estes discursos manifestam-se no modo de agir do indivíduo, determinando a posição discursiva ocupada pelo ethos na enunciação. Os pressupostos da análise do discurso, de base enunciativa, na abordagem de Maingueneau e outros pesquisadores, nessa mesma linha, fornecem suporte teórico para as análises. Na cena genérica da enunciação ocorre a construção do gênero do discurso e este requer uma cenografia discursiva que o direciona no ato enunciativo, revelando o ethos do enunciador, responsável pelo discurso. A epístola como gênero, na escrita de Sêneca e Paulo, fornece espaço para que cada um desenvolva suas argumentações, segundo os fundamentos básicos da retórica antiga. A partir dos discursos constituintes, filosófico e religioso, estes autores recorrem a determinados tópoi, lugares comuns, e argumentos retóricos que são desenvolvidos na construção de suas epístolas. Nas fronteiras dos discursos filosófico, literário e religioso encontram-se as influências da cultura helenística que contribuem para aproximação destes discursos constituintes, exercendo um efeito de entrecruzamento, causando o fenômeno do interdiscurso. Assim, as posições discursivas de Sêneca e Paulo ora se aproximam, ora se afastam, tendo em vista os discursos constituintes que as direcionam. Palavras-chave: Sêneca e Paulo; discurso constituinte; gênero epistolar; ethos; tópoi.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9177
Aparece nas coleções:PPGL - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11348_TESE - Doutorado Ufes.pdf2.67 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.