Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9205
Título: (Não) leituras de obras literárias em contexto escolar: um estudo de caso a partir de versão integral e adaptações de "O Cortiço", de Aluísio Azevedo
Autor(es): VINTER, R. B.
Orientador: DALVI, M. A.
Palavras-chave: Adaptações literárias
HQ
Leitura Literária
O cortiço
Alu
Data do documento: 10-Mar-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: VINTER, R. B., (Não) leituras de obras literárias em contexto escolar: um estudo de caso a partir de versão integral e adaptações de "O Cortiço", de Aluísio Azevedo
Resumo: O presente trabalho se insere nas discussões do grupo de pesquisa Literatura e Educação e investigou, no contexto de uma escola pública de Ensino Fundamental e Médio do município de Guarapari (ES), como são as relações entre livros e leitores - por meio das contribuições teóricas e metodológicas da Nova História Cultural - a partir de três diferentes versões da obra O cortiço do autor Aluísio Azevedo: versão adaptada por Fabio Pinto da coleção É só o começo (2009); adaptação com roteiro de Ivan Jaf e arte de Rodrigo Rosa em história em quadrinhos (2010) distribuída pelo PNBE; e c) versão com texto integral (2014 [1890]); todas encontradas na biblioteca da escola campo. A pesquisa foi desenvolvida em dois momentos, sendo o primeiro de cunho bibliográfico-documental, que buscou perceber como se dão as relações entre livro, leitor e leitura e pensar o modo como algumas adaptações literárias são inseridas no mercado, inclusive as que integram programas de distribuição de livros como o PNBE. O segundo momento foi um estudo de caso com questionário e grupo focal, constituído por alunos de segundo e terceiro ano do Ensino Médio da escola campo, que, no âmbito do processo de educação literária, tentou responder às seguintes questões: a) como se dá a apropriação do texto integral e das diversas adaptações de uma obra pelos estudantes?; b) os textos adaptados despertam no leitor o desejo de conhecer o texto integral?; c) como os alunos agem para (não) realizar as leituras propostas pelo currículo escolar?: A pesquisa justifica-se em face: a) do interesse, nos campos da História e da Literatura, pelas práticas de leitores literários empíricos e pelos usos que são feitos de materiais impressos, em contextos institucionais, em tensão com orientações oficiais; b) da necessidade de se pensar as questões econômico-ideológicas que circundam a leitura em tensionamento com o mercado editorial; c) do nosso diagnóstico tomado aqui como pressuposto de que muitos alunos não leem obras literárias sugeridas pelo currículo escolar; d) da necessidade de se pensar as não leituras literárias para além da culpabilização discente. Com a investigação, conhecemos as formas de aquisição dos livros, algumas preferências, os principais mediadores de leitura, traçando assim um perfil de leitor de leitura literária da escola campo. Chegamos também à conclusão de que algumas adaptações podem ser instrumentos de mediação de leitura em sala de aula. Os autores que nortearam nosso estudo foram: Regina Zilberman (1999, 2013), Márcia Abreu (2001), Edmir Perrotti (1999) e João Wanderlei Geraldi (2010) (livro e leitura no contexto brasileiro); Annie Rouxel (2013), Maria Amélia Dalvi (2012, 2013, 2013a) e Neide Rezende (2013) (educação literária); Roger Chartier (1999, 2002, 2002a, 2010, 2013, 2013a) (práticas e representações, apropriação).
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9205
Aparece nas coleções:PPGL - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10771_Dissertação Ravena Brazil Vinter finalizada v6.pdf6.74 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.