Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9331
Título: Diferentes usos de segundas residências: estudo de caso do loteamento Monte Aghá I em Piúma (ES)
Autor(es): Oliveira, Deise Thompson Lugão
Orientador: Faé, Maria Inês
Data do documento: 30-Nov-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: O processo de produção espacial, das áreas litorâneas da Microrregião Expandida Sul Litoral do Espírito Santo contou com a participação das segundas residências ou casas de veraneio. Essa forma de construção civil, também nomeada Domicílio de Uso Ocasional pelo IBGE (2010) é muito comum na cidade de Piúma, e se destaca no cenário nacional com um dos maiores índices de domicílios de uso temporário apresentando 27,78% do total de domicílios locais. O bairro popularmente conhecido como Loteamento Monte Aghá I no município de Piúma desenvolveu intensa urbanização, a partir do final da década de 1980, tendo expressiva participação das segundas residências na organização espacial do bairro. As segundas residências do local ainda mostram intenso uso para passeio de seus proprietários, mas já apresentam, em menor escala, uma espécie de “requalificação” de suas funções, para diferentes finalidades, como por exemplo, aluguel anual fixo, emprestado ou alugado para trabalho, emprestado ou alugado para passeio e para uso fixo de seus proprietários. Os resultados apontam que os principais vetores de origem do público ocupante são Minas Gerais, Rio de Janeiro e os municípios do interior do Espírito Santo. O público ocupante do loteamento Monte Aghá I possui diferentes rendas, destacando os valores entre 4 a 6 salários mínimos para ocupantes a passeio. A maioria é de jovem entre 26 a 45 anos o que reflete na maneira como esse público faz o uso dos imóveis e no interesse deste por atrativos que estão para além do desfrute da natureza, como por exemplo, shows, bares, restaurantes, comércio, serviços e outros.
The production process of coastal areas of the Northeast space Expanded South coast of Espírito Santo with the participation of second homes or vacation homes. This form of construction also nominated domicile of occasional use by IBGE (2010) is very common in the city of Piúma and stands on the national scene with one of the highest rates of households in temporary use 27.78% of total households. The neighborhood popularly known as Allotment Mont Aghá I in the municipality of Piúma developed intense urbanization from the end of the Decade of 1980, with significant participation of second homes, in the spatial organization of the neighborhood. The second homes of the place still show intense use to walk to their owners, but have, on a smaller scale, a kind of "requalification" of their duties, for different purposes, for example, fixed annual rental, borrowed or rented for work, borrowed or rented to ride and for fixed use of their owners. The results indicate that the main sources of public occupant vectors are in the States of Minas Gerais, Rio de Janeiro and the cities of the interior of the Espírito Santo. The occupant of the public allotment Mont Aghá I has different incomes, highlighting the values between 4 to 6 minimum wages for occupants to ride. Most are young between 26 to 45 years which reflects in the way that makes the use of public buildings and in the interest of this for attractions that are in addition to enjoy nature, as for example, shows, bars, restaurants, shops, and other services.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9331
Aparece nas coleções:PPGGEO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_10481_DEISE THOMPSON LUGÃO OLIVEIRA.pdf4.1 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.