Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9519
Título: ANÁLISE DA MACRODRENAGEM DE UMA BACIA URBANA COSTEIRA PARA DIFERENTES CENÁRIOS, COM AUXÍLIO DE MODELAGEM HIDROLÓGICA E HIDRÁULICA
Autor(es): PASSAMANI, F. C.
Orientador: RIGO, D.
Data do documento: 1-Set-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: PASSAMANI, F. C., ANÁLISE DA MACRODRENAGEM DE UMA BACIA URBANA COSTEIRA PARA DIFERENTES CENÁRIOS, COM AUXÍLIO DE MODELAGEM HIDROLÓGICA E HIDRÁULICA
Resumo: Cidades costeiras apresentam, no geral, muitos problemas relacionados à drenagem pluvial. Além da alta impermeabilização do solo devido à urbanização, essas regiões possuem cotas do terreno próximas ao nível do mar, baixas declividades e são influenciadas pela maré, aspectos que intensificam os casos das inundações. Este trabalho teve como objetivo avaliar a macrodrenagem de uma bacia urbana costeira e avaliar propostas de algumas medidas de controle para minimizar os impactos das inundações. Foi escolhida como estudo de caso a bacia hidrográfica do Canal da Costa, situada no município de Vila Velha, estado do Espírito Santo. Os softwares utilizados na modelagem hidrológica e hidráulica foram, respectivamente, o HECHMS e o HEC-RAS. No cenário atual da bacia, observou-se que o remanso ocasionado pelas águas provenientes das sub-bacias resulta em altos níveis dágua nos canais por um longo tempo devido à baixa velocidade de escoamento, inundando várias regiões habitadas da bacia. Foram avaliados três cenários alternativos, onde foi considerado o redimensionamento dos canais, o desvio da macrodrenagem de algumas sub-bacias e a transposição das águas pluviais por meio de bombeamento. Considerando a precipitação com período de retorno de 50 anos, constatou-se que os cenários alternativos amenizaram de forma significativa as inundações. As manchas de inundação geradas para o cenário atual só desapareceram após 33 horas do início da chuva e no momento de pico atingiram uma área equivalente a 27,7% da área total da bacia. Já no Cenário 4, onde foram adotadas as medidas de controle mais eficientes, a inundação terminou após 3 horas e o percentual da área da bacia atingida pela mancha de inundação máxima caiu para 8,9%. No entanto, observou-se que os problemas de inundação não foram solucionados totalmente em nenhum cenário alternativo. Dessa forma, verifica-se que as bacias costeiras já ocupadas poderiam adotar, além de técnicas estruturais, medidas de controle não estruturais que buscam proporcionar uma convivência harmoniosa da população com as inundações. Tais medidas podem ser sistemas de previsão e alerta, seguros contra enchentes e planos de evacuação.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9519
Aparece nas coleções:PPGESA - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10273_DISSERTAÇÃO - VERSÃO FINAL.pdf10.31 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.