Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9791
Título: Influência dos Arranjos Randômicos de Grãos nas Propriedades de Transporte de Eletrocerâmicas do Tipo Smbacuo
Autor(es): CAPUCHO, I. M.
Orientador: PASSOS, C. A. C.
Data do documento: 14-Jul-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: CAPUCHO, I. M., Influência dos Arranjos Randômicos de Grãos nas Propriedades de Transporte de Eletrocerâmicas do Tipo Smbacuo
Resumo: Amostras policristalinas de SmBaCuO foram preparadas com a técnica de reação sólido vapor. Quatro amostras foram preparadas a partir de óxidos de samário e cobre e de carbonato de bário. Após a mistura, cada uma das amostras foi compactada de forma idêntica, submetidas a uma pressão uniaxial de 3 toneladas e a tratamentos térmicos, cujo patamar de síntese do precursor foi de 960 °C por 40 horas. Em seguida, as amostras foram submetidas a outro tratamento térmico com patamar em 1060 °C onde as amostras tiveram tempo de síntese de 72 horas, sendo resfriadas até 520 °C por 24 h. O único parâmetro que foi modificado para cada amostra foi a oxigenação. Estas amostras foram caracterizadas detalhadamente por análises de difração de raios X, microscopia eletrônica de varredura (MEV), densidade, medidas de susceptibilidade magnética ac e resistividade elétrica ac. Através da difração de raios X foi possível separar a porcentagem de cada fase das amostras. Todas as amostras apresentam fase predominante de Sm-123 e composições secundárias dadas por: BaCuO2+𝑥, BaCO3, BaCO4, C2BaO4. Além disso, a fase predominante pode ser associada a duas estruturas cristalinas: ortorrômbica e tetragonal. Pelas imagens das MEV, percebeu-se que as amostras possuem morfologias semelhantes estando bem compactadas e apresenta regiões com trincas. Através do MEV pode-se obter tamanhos médios de junção para cada amostra. Além disso, foi realizado medidas de densidade aparente para cada amostra, com o objetivo de analisar a porosidade de cada uma. Para a medida de susceptibilidade magnética ac, todas as amostras foram pulverizadas para que as partículas possuíssem no máximo 38 𝜇m. Esta medida proporciona obter qual a intensidade da corrente de blindagem e que temperatura crítica de cada amostra. Por fim, foi medido a resistividade elétrica ac, sendo possível determinar curvas de resistividade elétrica em função da temperatura, o que permitiu obter as correntes críticas e o tipo de junção que cada amostra apresenta.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9791
Aparece nas coleções:PPGEM - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_8972_IVAN MELOTI CAPUCHO.pdf16.6 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.