Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9882
Título: MORRER É COMPLICADO! UM ESTUDO SOBRE ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS DA MORTE EM UM ESTADO QUE CRIMINALIZA A EUTANÁSIA
Autor(es): MUNIZ, V. A.
Orientador: CREADO, E. S. J.
Data do documento: 31-Out-2016
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MUNIZ, V. A., MORRER É COMPLICADO! UM ESTUDO SOBRE ASPECTOS TEÓRICOS E PRÁTICOS DA MORTE EM UM ESTADO QUE CRIMINALIZA A EUTANÁSIA
Resumo: A presente dissertação aborda a questão da morte, a partir de uma perspectiva das complicações aparelhadas pelo Estado, que instrumentaliza o morrer e, consequentemente, impede o procedimento de eutanásia no país, em virtude de uma burocracia própria, do sistema legal e da interpretação das leis, além das políticas públicas que envolvem a saúde. Para tal, em virtude da interdisciplinaridade do tema, elementos advindos de estudos histórico-filosóficos foram utilizados a fim de obter uma descrição teórica que abrangesse a questão do morrer sob a ótica do pensamento ocidental, desde os registros mais comuns e acessíveis sobre o objeto da pesquisa. Paralelamente, a análise jurídica foi necessária para a compreensão dos desdobramentos teóricos na prática, quando o Estado passa a inferir e doutrinar sobre a vida e a morte na sociedade como um todo, a partir da formulação e execução de leis. Em continuidade, além da teoria e da prática, pela necessidade de conhecer um pouco dos sujeitos e suas experiências, o estudo socioantropológico utilizado buscou um pouco da visão sobre a morte no cotidiano das pessoas, e, para isso, foram utilizadas diferentes fontes e materiais de pesquisa.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9882
Aparece nas coleções:PPGCSO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_10353_DISSERTACAO Final - Vinicius Arena-2-12-2016.pdf1.36 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.