Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9898
Título: Giras de pretos-velhos em um terreiro de umbanda : lugares e eventos de construção de memórias afro-brasileiras
Autor(es): Nascimento, Maria Sampaio do
Orientador: Oliveira, Osvaldo Martins de
Data do documento: 17-Nov-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A presente pesquisa analisa as memórias de cambones relativas aos saberes e à crença nos poderes de cura das entidades Pretos Velhos. Para organizar o trabalho foi necessário entender o conceito de memória para um aprofundamento nos relatos das entidades enquanto pessoas que, no passado, viveram no Brasil como escravos e hoje são espíritos divinizados presentes em ritos, juntamente com pessoas no Grupo de Umbanda Aprendizes do Amor. A gira de Pretos Velhos remete às narrativas que sustentam o entendimento sobre o que foi a vida destes no cativeiro e, como médiuns, a partir da incorporação, atualizam os significados por meio de rituais religiosos. Durante a pesquisa foram feitas entrevistas e conversas informais com Pretos Velhos e cambones, além de entrevistas com o Pai de Santo e com o Pai Pequeno do terreiro. A partir da vivência durante as giras foi possível observar elementos característicos das entidades quando se trata de cultura, religião e a performance dos médiuns incorporados. Um fator observado durante a etnografia é o que diferencia os Pretos Velhos de entidades como os Caboclos, Exus e Pombas Giras na forma de tratamento durante as consultas. Entidades e consulentes demonstram uma ligação familiar na qual as entidades são tratadas como vovó, vovô, mãe e pai. Logo, os consulentes são chamados de filhos ou filhas fortalecendo laços entre os participantes do diálogo. Nas observações dos rituais percebe-se que em nenhum momento os guias demonstram o comportamento de escravizados. Eles transmitem seus saberes como forma de resgate de suas práticas ancestrais de cura trazidas a partir da diáspora africana. A constatação baseada nas experiências vividas durante as etnografias foi a devoção por parte dos frequentadores do terreiro pesquisado em relação aos Pretos Velhos e, em nenhum momento, a percepção de submissão por parte das entidades, o que demonstra a resistência dos escravizados no passado e, na contemporaneidade, a afirmação de sua senioridade.
The present research analyzes the memories of cambones (assistants) related to the knowledge and belief in the healing powers of the Black Old Entities. In order to organize the work was necessary to understand the concept of memory for a deepening in the reports of the entities as people whom in the past lived in Brazil as slaves and today they are divinized spirits present in the rites of Umbanda at Love's Apprentices Umbanda Group. The Preto-Velho's gira (work) refers to the narratives that support the understanding of what their lives were in captivity and how mediums, from incorporation, update meanings through these religious ritual. During the survey interviews and informal conversations were made with Pretos-Velhos and cambones, as well as interviews with the Pai de Santo (Father of Saint) and the Pai Pequeno (Little Father) of the terreiro (yard). From the experience of the gira was possible to observe characteristic elements of the entities regarding the culture, religion and also the performance of the incorporated mediums. One fact observed during ethnography was the difference between the Pretos-Velhos and other entities, such as the Caboclos, Exus and Pomba Giras, in the form of treatment during the consultations. Entities and consultants demonstrate a family connection, in which the Pretos-Velhos are treated as "grandma", "grandpa", "mother" and "father." Consultants are then called "sons" or "daughters" by strengthening ties between the participants in the dialogue. In the remarks of the rituals was noticed that at any moment the guides demonstrate the behavior of enslaved. They pass on their knowledge as a way of rescuing their ancestral healing practices brought from the African diaspora. The observation based on the experiences lived during the ethnographies was the devotion on the part of the visitors of the terreiro surveyed in relation to the Pretos-Velhos, and at any moment there is perception of submission by the entities, what demonstrates the resistance of the slaves in the past and the affirmation of his seniority in contemporary times.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9898
Aparece nas coleções:PPGCSO - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_11480_Dissertação última versão 20.12.2017-1.pdf5.06 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.