Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9940
Título: Efeito Alelopático de Solanum Pimpinellifolium (solanacea) Sobre Germinação e Crescimento Inicial de Lactuca Sativa L. e Bidens Pilosa L.
Autor(es): FIORESI, R. S.
Orientador: CORTE, V. B.
Coorientador: FRANCA, H. S.
Data do documento: 22-Ago-2017
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: FIORESI, R. S., Efeito Alelopático de Solanum Pimpinellifolium (solanacea) Sobre Germinação e Crescimento Inicial de Lactuca Sativa L. e Bidens Pilosa L.
Resumo: Alelopatia é toda e qualquer interferência causada por substâncias químicas produzidas por plantas em organismos da comunidade, acarretando tanto efeitos benéficos quanto prejudiciais. Considerando que diversas espécies do gênero Salanum apresentam grande potencial alelopático, o objetivo do presente trabalho foi avaliar o efeito alelopático dos extrato hexânico, metanólico e de acetato de etila de folhas de Solanum pimpinellifolium sobre a germinação de sementes da cultivada Lactuca sativa L e da daninha Bidens pilosa, como possível alternativa ao uso de herbicidas sintéticos altamente poluentes e persistentes no ambiente. Os extratos foram obtidos por maceração à temperatura ambiente por 7 dias. Depois foram secos e diluídos em água destilada para as concentrações 1, 2 e 5mg/ml. Em seguida 100 sementes de cada espécie foram distribuídas em 5 placas de Petri forradas com duas folhas de papel germitest umedecidos com as diferentes concentrações de cada extrato colocadas para germinar. Os testes foram conduzidos à temperatura constante de 22ºC e luz constante em câmara de germinação tipo BOD. Os bioensaios foram monitorados diáriamente obtendo-se ao final de 7 dias a porcentagem de germinação e índice de velocidade de germinação (IVG). Dos três extratos, o acetato de etila apresentou melhor desempenho, diminuindo a velocidade e a porcentagem de germinação em todas as concentrações, sendo que a concentração 5mg/ml apresentou apenas 8% de germinação para L. sativa L. Para B. pilosa o extrato hexânico apresentou melhor desempenho, diminuindo a velocidade e a porcentagem de germinação em todas as concentrações. As análise fitoquímicas foram realizadas com técnica de cromatografia em camada delgada (CCD) e identificou os grupos químicos presentes nos três extratos utilzados nos experimentos. A estatítisca revelou diferenças significativas entre os diferentes tratamentos e plantas testadas de acordo com o teste de Scott-Knott ao nível de 5% de probabilidade.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9940
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_11325_ultima versao- Raiane.pdf853.26 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.