Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9949
Título: INFLUENCIA da Modalidade de Enxertia e Interação Entre Enxertos e Porta-enxertos em Mudas de Theobroma Cacao L. Submetidas a um Ciclo de Defice Hidrico.
Autor(es): MARINATO, C. S.
Orientador: AGUILAR, M. A. G.
Data do documento: 7-Mar-2006
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: MARINATO, C. S., INFLUENCIA da Modalidade de Enxertia e Interação Entre Enxertos e Porta-enxertos em Mudas de Theobroma Cacao L. Submetidas a um Ciclo de Defice Hidrico.
Resumo: Resumo O cacaueiro (Theobroma cacao L.) é cultivado comercialmente em larga escala. Atualmente, a queda na produção, provocada pela doença fúngica conhecida como vassoura-de-bruxa, cria novos desafios para os cacauicultores. Uma das estratégias utilizadas é a substituição das plantas suscetíveis por genótipos resistentes ao patógeno. Uma forma de implementar esse processo é a utilização de técnicas de enxertia para acelerar a substituição da copa ou para a produção acelerada de mudas. Esse método também é utilizado para a obtenção de plantas com características desejadas, como maior tolerância a períodos de seca e maior produtividade. No entanto, o sucesso da enxertia pode ser influenciado por inúmeros fatores, dentre eles a interação entre o enxerto e o porta-enxerto, que por sua vez pode ser influenciada pelo genótipo de ambos. Objetivou-se avaliar a sobrevivência de enxertos de T. cacao, utilizando-se dois métodos de enxertia precoce e as características fisiológicas de mudas enxertadas quando submetidas a défice hídrico. O experimento foi conduzido em condições casa de vegetação com temperatura e umidade relativa do ar controladas. Foram utilizadas como material vegetal os genótipos ESFIP 02, TSH 1188, CCN 51 e Cacau Comum. Foram testados os métodos de enxertia hipocotiledonar por garfagem de topo à inglesa e de topo em fenda cheia. Avaliaram-se as taxas de sobrevivência do enxerto e características de crescimento vegetativo. O experimento foi instalado no delineamento de blocos casualizados com 4 repetições em arranjo fatorial 2x5, constituída de 2 métodos de enxertia e 4 porta-enxertos + 1 pé franco. A porcentagem de sobrevivência não foi influenciada pelos métodos de enxertia. Na enxertia precoce o genótipo do porta-enxerto influenciou, de forma significativa, a sobrevivência de enxertos do genótipo TSH 1188. O genótipo ESFIP 02, o método de enxertia de topo por fenda cheia propiciou maior crescimento que o método de garfagem de topo à inglesa. Já o défice hídrico reduziu os valores de altura, área foliar, massa seca do caule e massa seca das folhas. A massa seca das raízes foi maior nas plantas estressadas. O estresse diminuiu os teores de nitrogênio foliar, no entanto os teores de fósforo e potássio aumentaram. O défice hídrico influenciou negativamente os teores de clorofila, a fluorescência da clorofila, as trocas gasosas e o potencial hídrico foliar. O genótipo do porta-enxerto influenciou significativamente nos mecanismos de tolerância a défice hídrico e nas variáveis analisadas.O genótipo ESFIP 02, quando utilizado como porta-enxerto proporcionou, de modo geral, maiores valores de crescimento vegetativo, acúmulo
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9949
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_2678_RESUMO DISSERTAÇÃO CLAUDIO SERGIO MARINATO.pdf15.35 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.