Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9953
Título: Respostas ecofisiológicas e bioquímicas de duas cultivares de tomate (Lycopersicum esculentum MILL.) cultivadas em sistemas de agricultura natural e convencional.
Autor(es): NELSON S.TAVARES
Orientador: VENTURA, J. A.
Palavras-chave: Palavras-chave: Agricultura natural
tomate
fenóis
aminoác
Data do documento: 23-Fev-2006
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: NELSON S.TAVARES, Respostas ecofisiológicas e bioquímicas de duas cultivares de tomate (Lycopersicum esculentum MILL.) cultivadas em sistemas de agricultura natural e convencional.
Resumo: R E S U M O Hoje o mundo tem interesse em consumir alimentos saudáveis e livres de resíduos químicos para manter a saúde do ser humano e do planeta em que vivemos. Foram avaliadas as alterações que ocorrem em plantas de tomate (Lycopersicum esculentum Mill.) cultivadas em sistemas de produção natural e convencional utilizando as cultivares Gaúcho e Salada Especial, em Vila Velha, Espírito Santo. As folhas e os frutos foram analisados nos laboratórios de instituições oficiais determinado-se o peso, o volume, os teores de água, a matéria seca, as cinzas, a matéria seca livre de cinzas, a proteína total, os aminoácidos livres, os sólidos solúveis totais, o nitrato, os compostos fenólicos, a perda de água, tempo de prateleira e os macro e micronutrientes. No campo foram medidas a fotossíntese e a clorofila. Não houve produção do primeiro plantio natural. No entanto, após quatro plantios repetidos nos mesmos canteiros, a produção foi de 21 t/ha. A produção de frutos do cultivo convencional foi de 56 t/ha, sendo 165% maior que a do cultivo natural. O aumento da produtividade no cultivo natural foi dependente da capacidade das plantas em se adaptarem ao meio ambiente sem aportes químicos. A produção de fenol total nas folhas e frutos dos produzidos em sistema de cultivo natural foi 36,86% maior que nas plantas de tomate produzidas no sistema convencional, enquanto o teor de aminoácidos livres totais foi 305,53% maior nas folhas e frutos do cultivo convencional. As plantas do cultivo natural tiveram maior eficiência no uso de água (EUA) para fixar CO2. As plantas do cultivo convencional gastaram 714 mL de água para fixar 1,0 g de CO2 enquanto as plantas do cultivo natural gastaram 321 mL para fixar 1,0 g de CO2. As plantas do sistema de cultivo natural produziram mais matéria vegetal por unidade de recurso natural alocado que as plantas do sistema de cultivo convencional. Os frutos do cultivo natural tiveram 16,76% mais potássio, o maior tempo de prateleira e mantiveram as características de qualidade por 6 dias a mais que os frutos do cultivo convencional. Palavras-chave: Agricultura natural, tomate, fenóis, aminoácidos, fotossíntese, água - uso.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9953
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_2683_Dissertação Nelson S. Tavares 2006.pdf9.87 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.