Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9977
Título: PROPAGAÇÃO E CONSERVAÇÃO In vitro de Vrisea sucrei (L. B. Smith & R. W. Read): Bromeliaceae em perigo de extinção da Mata Atlantica
Autor(es): KAMILA V. PESSOTTI
Orientador: CUZZUOL, G. R. F.
Palavras-chave: Palavras Chave: Vriesea sucrei
in vitro
conservação
pro
Data do documento: 20-Fev-2009
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: KAMILA V. PESSOTTI, PROPAGAÇÃO E CONSERVAÇÃO In vitro de Vrisea sucrei (L. B. Smith & R. W. Read): Bromeliaceae em perigo de extinção da Mata Atlantica
Resumo: RESUMO As técnicas de propagação in vitro permitem a obtenção de grandes quantidades de mudas uniformes, de alta qualidade fisiológica e fitossanitária. Com isso, pode-se promover a multiplicação rápida e geneticamente confiável, bem como a preservação de espécies ameaçadas de extinção. O objetivo do presente trabalho foi estabelecer um protocolo para a propagação e conservação in vitro e ex situ de Vriesea sucrei, visando à implantação de um banco de germoplasma dessa Bromeliaceae ameaçada de extinção. Sementes de V. sucrei foram inoculadas em meios de cultura e substratos in vitro. Foram testados sete diferentes meios de germinação: MS líquido, MS gelificado, K líquido, K gelificado, Areia lavada, fibra de coco e controle (água destilada). O índice de velocidade de germinação (IVG), porcentagem de germinação e de sobrevivência foram calculados. Também foram realizadas medidas de crescimento inicial como altura e número de folhas das plântulas germinadas. Plântulas provenientes da germinação in vitro foram submetidas aos tratamentos de conservação, que consistiram de uma combinação fatorial (2x3x2x2) das seguintes variáveis fisiológicas: formulação do meio de cultura (MS e K), concentração de macro e micronutrientes do meio de cultura (1, ½ e ¼), estado físico do meio de cultura (gelificado e líquido) e temperatura de incubação (15°C e 25°C). Após 120 dias em cultura, foram real izadas medidas de porcentagem de sobrevivência, incremento em altura, número de folhas, número de raízes, comprimento da maior raiz, teores de clorofila e análise anatômica do limbo. Plântulas de V. sucrei com seis meses de idade, obtidas por meio da germinação in vitro, foram utilizadas como explantes para a indução de brotações laterais. Os tratamentos de indução de brotações laterais consistiram de uma combinação fatorial (2x2x4) de dois meios de cultura (MS e K), dois estados físicos do meio (gelificado e liquido) e quatro combinações de auxinas (AIA e ANA), citocininas (cinetina e BAP), e uma amina (adenina) em diferentes proporções. A eficiência da multiplicação das brotações laterais foi calculada pela porcentagem de plântulas que geraram brotações laterais em cada tratamento e número médio de brotações produzidas por plântula. A germinação in vitro de sementes de V. sucrei nos tratamentos MS líquido, K líquido, areia e controle se mostram igualmente efetivos, apresentando altas taxas de germinação, sobrevivência e IVG. Os tratamentos contendo meio nutritivo (MS líquido e K líquido) seriam os mais indicados para a obtenção de plantas com crescimento inicial mais vigoroso em altura e número de folhas. O crescimento naturalmente lento da espécie V. sucrei favoreceu sua conservação em bancos de germoplasma in vitro. A baixa temperatura de 15°C foi o fator determinante para a redução do crescimento in vitro, sem, contudo, comprometer a sobrevivência das plantas. O tratamento ½ MS liquido a 15°C apresentou alta porcentagem de sobrevivência, plantas com crescimento reduzido, altos teores de clorofila e estrutura anatômica sem anormalidades. Com base nestes resultados, podemos sugerir que esse tratamento seja o mais indicado para a implantação de bancos de germoplasma in vitro de V. sucrei. Quanto ao experimento de indução de brotações laterais, o tratamento MS liquido suplementado com 0,5mg/L de ANA e 2mg/L de BAP promoveu maior porcentagem de plantas com brotações laterais (80%) e maior número de brotações laterais/planta (2,3). No entanto, todos os tratamentos testados geraram um número baixo de brotações laterais/planta.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9977
Aparece nas coleções:PPGBV - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
tese_4392_Dissertação Kamila Pessotti.pdf3.01 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.