Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10929
Título: Uso de fontes alternativas de água não potável em edificações multifamiliares de Vitória, Vila Velha e Serra : por que não?
Autor(es): Gomes, Carla Cordeiro
Orientador: Alvarez, Cristina Engel de
Coorientador: Gonçalves, Ricardo Franci
Palavras-chave: Fontes alternativas de água não potável
Reuso de água cinza
Aproveitamento de água de chuva
Data do documento: 22-Out-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Citação: GOMES, Carla Cordeiro. Uso de fontes alternativas de água não potável em edificações multifamiliares de Vitória, Vila Velha e Serra: por que não? 2018. 159 f. Dissertação (Mestrado em Arquitetura e Urbanismo) – Universidade Federal do Espírito Santo, Centro de Artes.
Resumo: Nos meses de setembro e outubro de 2016, as reservas de abastecimento Segundo a ONU a escassez de água atinge mais de 40% da população mundial. A Região Metropolitana da Grande Vitória entra nesta estatística quando em razão da estiagem de 2016 foi necessário racionamento de água. Baseando-se neste cenário, a questão que problematiza esta pesquisa é: por que as novas construções de edifícios multifamiliares não adotam instalações prediais para o uso de fontes alternativas de água não potável? Em resposta foi levantada a seguinte hipótese: novos edifícios multifamiliares não são concebidos com instalações prediais para o uso de fontes alternativas de água não potável, devido a entraves de fatores técnico, financeiro, legal, político, ambiental e cultural. Assim esta pesquisa tem como objetivo identificar as razões da não adoção de instalações prediais para uso de fontes alternativas de água não potável em novos edifícios multifamiliares dos municípios de Vitória, Vila Velha e Serra, cuja metodologia foi delimitada em três etapas. Na etapa 1, a partir da avaliação qualitativa das respostas obtidas na aplicação dos questionários, foram reconhecidos como entraves os levantados pela hipótese desta pesquisa e identificados os mais impactantes, como o desconhecimento técnico de alguns sistemas pelos projetistas e construtores, a pouca variedade de fornecedores especialistas em sistemas e serviços para uso de fontes alternativas e pouco incentivo na adoção de sistemas hidrossanitários híbridos pelos gestores públicos dos municípios. Na etapa 2, foi realizado estudo de caso pelos ensaios projetuais das opções de sistemas híbridos A (água potável da rede, água de chuva, ETAC com wetland e água de condensado), B (água potável da rede, água de chuva, ETAC com wetland) e C (água potável da rede, água de chuva, ETAC sem wetland e água de condensado) e D (água potável da rede e água de chuva). Esta avaliação técnica permitiu constatar que a implantação destes sistemas são viáveis tecnicamente, desde que o projeto seja concebido originalmente cumprindo os requisitos que atendam às necessidades espaciais no conjunto da arquitetura. Com intuito de aumentar a probabilidade de tornar viável técnico e economicamente as opções A, B e C, além do sistema completo foram simuladas configurações com instalações básicas, ou seja, apenas as instalações embutidas na construção. Esta configuração possibilita o usuário completar o sistema posteriormente sem grandes impactos de obra, apenas conectando os equipamentos tais como bomba e ETAC. Na etapa 3, a avaliação econômica, a partir do cruzamento dos dados do custo direto total da obra com a diferença dos custos de D em relação às opções A, B e C, demonstrou para os sistemas completos variação entre 0,95 e 0,82%, e para os sistemas básicos de 0,45 a 0,39%. Ponderando todos os resultados qualitativos e quantitativos desta pesquisa constata-se a viabilidade técnico-econômica no investimento em sistemas alternativos. Destacando-se no contexto a tecnologia da ETAC com wetland, que além de representar baixo custo de investimento em implantação e manutenção, não impacta no custo com ocupação de área construída, uma vez que pode ser alocada na área permeável, exigida pelos PDU e PDM dos municípios.
According ONU statistic, water scarcity accounts over 40% of the world's population, and the Metropolitan Region of Grande Vitória enters this statistic when in 2016, due to drought, when water rationing was necessary. Based on this scenario, the question that problematizes this research is: why new multifamily buildings do not adopt alternative sources of non-potable water installations? In response, the following hypothesis was raised: new multifamily buildings are not designed with alternative sources of non-potable water installations due to technical, financial, legal, political, environmental and cultural factors. The research purpose is identify the reasons for not adopting alternative sources of non-potable water installations in new multifamily buildings in the Vitória, Vila Velha and Serra counties, whose methodology was delimited in three stages. In stage 1, from the answers qualitative evaluation, obtained by questionnaires application, those raised by the hypothesis research were recognized as obstacles, and the most striking were identified, such as the designers and builders technical unfamiliarity of some systems, the little suppliers variety and low hybrid systems incentive by the counties. In stage 2, a case study designed tests of the hybrid system options, A (potable water from the grid, rainwater, ETAC with wetland and condensate), B (potable water from the grid, rainwater, ETAC with wetland, C (potable water from the grid, rainwater, ETAC without wetland and condensate) and D (network drinking water and rainwater). This technical evaluation allowed to verify that these systems implantation are technically viable, since the project be conceived fulfilling the requirements respect the space needs in the architecture. In order to increase the probability of making the options A, B and C technically and economically viable, in addition to the complete system, configurations with basic installations were simulated, thas is only the built-in installations. This configuration allows the user to complete the system without construction impacts, just connecting the equipment such as bomb and ETAC. In stage 3, the economic evaluation, based on the total direct cost construction comparison with the option D costs difference regarding to the options A, B and C, showed for the complete systems variation between 0,95 and 0,82%, and for basic systems from 0,45 to 0.39%. Considering all the qualitative and quantitative results, ensure that technical-economical viability in the alternative systems investment. Highlighting the ETAC technology with wetland, which besides representing low investment cost implementation and maintenance, also don’t impact on the occupancy cost of constructed area, since it can be allocated in the permeable area, required by the PDU and PDM of municipalities.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/10929
Aparece nas coleções:PPGAU - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12646_CARLA CORDEIRO GOMES - VOLUME FINAL.pdf8.32 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.