Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11002
Título: Importância de fatores ecológicos, filogenéticos e alométricos na variação da forma do crânio roedores
Autor(es): Lemes, Thamila Barcellos
Orientador: Costa, Leonora Pires
Data do documento: 22-Fev-2019
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Rodentia é a ordem de mamíferos mais diversa em todo o Mundo, padrão que é observado principalmente nos Neotrópicos, incluso o Brasil, conforme as listas de espécies a nível regional e nacional. Possui distribuição cosmopolita com grande diversidade de dietas e hábitos locomotores. Suas sinapomorfias-chave são características cranianas e dentais, portanto neste trabalho o crânio foi utilizado como objeto de estudo, analisando sua interação com fatores alométricos, dieta, sexo e parentesco. As 32 espécies estudadas ocorrem no Espírito Santo e são pertencentes a 7 famílias da ordem. A ferramenta utilizada nessa investigação foi a morfometria geométrica, utilizando nas análises dos dados testes estatísticos multivariados, análises discriminantes, regressões e análise das variáveis canônicas. Não foi verificado dimorfismo sexual quando todas as espécies são analisadas, porém há diferenciação na forma e tamanho do crânio. A comparação entre os herbívoros e insetívoros mostrou que há diferenças morfológicas entre as espécies com dietas diferentes, mesmo quando elas possuem parentesco filogenético. Ainda assim as árvores quando reconstruídas, com base nos caracteres cranianos, tiveram o mesmo resultado em todas as vistas avaliadas, tanto do crânio quanto mandíbula, conseguindo manter praticamente todas as relações de parentesco entre as famílias corretamente (exceto Sciuridae e Dasyproctidae). A alometria, entretanto, não é um fator de variação no crânio de roedores, alcançando valores desprezíveis de regressão, porém esse trabalho mostrou ser possível diferenciar diferentes tipos de dieta e relações de parentesco pela morfometria geométrica do crânio de roedores.
Rodentia is the most specious order in the world, a pattern mainly observed in the Neotropics, including Brazil as well, according to regional and national species lists. It has cosmopolitan distribution with a great diversity of diets and locomotive habits. Its key synapomorphies are cranial and dental characteristics. Accordingly, I used the skull as the object in this study, analyzing its interaction with allometric factors, diet and phylogeny. The 32 species utilized in this study occur in Espírito Santo state, Brazil, and belong to 7 families of the Order. The tool used in this investigation was the geometric morphometry, using in the data analyses multivariate statistical tests, discriminant analyses, regressions and analysis of canonical variables. No sexual dimorphism was observed when all species were analysed, but there was differentiation in the shape and size of the skull. Comparisons between herbivores and insectivores showed that there are morphological differences between species with different diets, even when they have a close phylogenetic relationship. Still, the trees recovered, based on cranial characters, had the same result in all views, managing to maintain virtually all kinship relationships between families correctly (only replacing Sciuridae and Dasyproctidae). Allometry, however, is not a variation factor in the skull of rodents, reaching negligible regression values. It was then shown that it is possible to differentiate different types of diet and kinship relations by the geometric morphometry of the rodent skull.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11002
Aparece nas coleções:PPGBAN - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12964_Dissertação - Thamila Barcellos Lemes - PPGBAN.pdf1.49 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.