Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11038
Título: Dermatoscopia : avaliação dos padrões isolados e combinados na onicomicose por dermatófitos
Autor(es): Busatto, Shimena Guisso Cabral
Orientador: Diniz, Lucia Martins
Coorientador: Cerutti Junior, Crispim
Data do documento: 18-Dez-2018
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: Introdução: A dermatoscopia é método consagrado no diagnóstico clínico das lesões melanocíticas das unhas, e ao longo dos anos, tem sido utilizada também para avaliação de doenças inflamatórias, imunológicas e infecciosas do aparelho ungueal, como as infecções fúngicas. A dermatoscopia é ferramenta útil no diagnóstico da onicomicose, permitindo análise global do aparelho ungueal, de fácil execução e de baixo custo. Contudo, diagnóstico da onicomicose é realizado por meio de exame clínico e complementado pelos exames micológicos (EMD e cultura), sendo a histologia, recomendada nos casos de exames micológicos negativos. Objetivos: O estudo tem o objetivo de avaliar os padrões dermatoscópicos dos casos de onicomicose dermatofítica. Pacientes e métodos: Foram avaliados 80 pacientes com suspeita clínica de onicomicose nos háluces, nos quais o exame dermatoscópico foi realizado. A técnica utilizada para a identificação dos fungos foi o exame micológico direto. Resultados: O EMD foi positivo para fungos filamentosos dermatófitos em 56 pacientes (70%) e negativo em 24 (30%). Pacientes que apresentaram alterações ungueais por um período acima de cinco anos foram mais propensos ao diagnóstico de onicomicose (p=0,001). O tempo das alterações nas unhas dos pacientes portadores de onicomicose foi de sete anos e meio, e de três anos para os pacientes sem este diagnóstico, demonstrando o caráter crônico desta infecção. Os padrões dermatoscópicos encontrados preditores de onicomicose dermatofítica foram: padrão de “borda recortada” (p=0,003), estrias longitudinais (p=0,019), hiperceratose subungueal “em ruína” (p=0,001) e cromoníquia amarela (p=0,002). A sensibilidade (S) e a especificidade (E) dos achados dermatoscópicos isolados foram respectivamente: (64,3%; 54,2%) para o padrão de “borda recortada”, (73,2%; 54,2%) para o padrão estrias longitudinais, (85,7%; 50%) para hiperceratose subungueal “em ruína” e (78,6%; 58,3%) para cromoníquia amarela. Quando combinados os padrões entre si, a sensibilidade e a especificidade foram: (58,9%; 70,8%) para borda recortada e estrias longitudinais, (62,5%; 66,7%) para estrias longitudinais e hiperceratose subungueal “em ruína”, (51,8%; 75%) para a combinação de borda recortada, estrias longitudinais e hiperceratose subungueal “em ruína” e por fim, (67,9%; 83,3%) para hiperceratose subungueal “em ruína” e cromoníquia amarela. Conclusões: Os padrões dermatóscópicos encontrados foram: padrão de borda recortada “com pontas”, estrias longitudinais, cromoníquia amarela e hiperceratose subungueal “em ruína”. A sensibilidade destes padrões nos pacientes com EMD positivo foram baixas, exceto o padrão de hiperceratose subungueal “em ruína”, que apresentou sensibilidade de 85,7%. Na avaliação dos padrões dermatoscópicos combinados, houve um aumento da especificidade para o diagnóstico de onicomicose dermatofítica em todas as combinações quando comparadas aos padrões avaliados de forma isolada, sendo que, a associação de hiperceratose subungueal “em ruína” e da cromoníquia amarela foi o mais específico (83,3%), demonstrando um aumento da especificidade no diagnóstico da infecção fúngica das unhas quando dois ou mais achados dermatoscópicos preditores de onicomicose estão presentes ao exame.
Introduction: Dermoscopy is a method used in the clinical diagnosis of nail melanocytic lesions, and over the years it has also been used to evaluate inflammatory, immunological and infectious diseases of the nail, such as fungal infections. Dermoscopy is a useful tool in the diagnosis of onychomycosis, allowing a comprehensive analysis of the nail apparatus, which is a low cost exam and easy perform. However, diagnosis of onychomycosis is made through clinical examination and complemented by mycological exams (DME and culture), being that histology is recommended in cases of negative mycological exams. Objectives: The aim of this study is to evaluate the dermatoscopic patterns in cases of dermatophytic onychomycosis. Patients and methods: Eighty patients with clinical suspicion of onychomycosis on the first toe were evaluated, in which dermoscopic examination was performed. The technique used to identify fungi was direct mycological examination. Results: DME was positive for dermatophyte filamentous fungi in 56 patients (70%) and negative in 24 (30%). Patients who presented nail abnormalities for a period of more than five years were more prone to the diagnosis of onychomycosis (p = 0.001). The time of nail changes in patients with onychomycosis was seven and a half years, and of three years for patients without this diagnosis, demonstrating the chronic aspect of this infection. The dermatoscopic patterns found as dermatophytic onychomycosis predictors were: "cut edge" pattern (p = 0.003), longitudinal striae (p = 0.019), subungual "ruin" hyperkeratosis (p = 0.001), and yellow cromonychia (p = 0.002). Sensitivity (S) and specificity (E) of isolated dermoscopic findings were respectively: (64.3%, 54.2%) for the "trimmed edge" pattern, (73.2%, 54.2%) for longitudinal striae pattern, (85.7%, 50%) for subungual "ruin" hyperkeratosis and (78.6%; 58.3%) for yellow cromonychia. When the patterns were combined, sensitivity and specificity were: (58.9%, 70.8%) for cut edge and longitudinal striae, (62.5%, 66.7%) for longitudinal striae and subungual "ruin" hyperkeratosis, (51.8%, 75%) for the combination of cut edge, longitudinal striae and subungual "ruin" hyperkeratosis and finally, (67.9%; 83.3%) for subungual "ruin" hyperkeratosis and yellow cromonychia. Conclusions: The dermatoscopic patterns found were: "trimmed edge" pattern, longitudinal striae, yellow cromonychia and subungual "ruin" hyperkeratosis. The sensitivity of these patterns in patients with positive DME was low, except for the subungual "ruin" hyperkeratosis, which presented a sensitivity of 85.7%. When the dermatoscopic patterns were evaluated in a combination way, there was an increase in the specificity for the diagnosis of dermatophytic onychomycosis in all combinations when compared with the patterns evaluated in isolation. The association of subungual "ruin" hyperkeratosis with yellow cromonychia was the most specific (83.3%), demonstrating an increased specificity in the diagnosis of fungal nail infection when two or more dermatoscopic predicting onychomycosis findings are present at the examination.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/11038
Aparece nas coleções:PPGDI - Dissertações de mestrado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_12871_Mestrado Final.pdf
  Restricted Access
5.28 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.