Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9161
Título: Uso de fatores biológicos e ambientais na avaliação de níveis de vulnerabilidade de bosques do manguezal da Baía de Vitória, ES
Autor(es): Zamprogno, Gabriela Carvalho
Orientador: Tognella, Mônica Maria Pereira
Data do documento: 19-Nov-2015
Editor: Universidade Federal do Espírito Santo
Resumo: A Baía de Vitória é uma região estuarina de extrema importância sócio-econômica no Estado do Espírito Santo. Intervenções humanas tornam esse ecossistema mais vulnerável aos tensores naturais e antrópicos. Uma análise interdisciplinar foi realizada, buscando compreender as características intrínsecas que tornam um bosque mais ou menos sensível às alterações ambientais, por meio de metodologia quantitativa e qualitativa, com o objetivo de classificar os bosques em níveis de vulnerabilidade. Para tanto, analisou-se vegetação, fauna, contaminantes, características do sedimento e pressão urbana. Foram estabelecidas 8 áreas e em cada área foram demarcadas parcelas em bosques de franja e de bacia, totalizando 16 pontos de amostragem. Em cada ponto foram verificados os dados de estrutura da vegetação e amostragens semestrais foram realizadas para verificar dados de granulometria e matéria orgânica do sedimento, caracterização da água intersticial, macrofauna e plântulas. Além disso, em cada ponto foram realizadas avaliações da morfologia superficial do sedimento e amostras de sedimento foram coletadas para análise de microcontaminantes orgânicos e elementos traço e maiores. Apesar de sujeito a diversos impactos antrópicos, a estrutura da vegetação apresenta bosques com diferentes graus de maturidade e heterogeneidade estrutural, sendo que as áreas mais distantes de impactos antrópicos diretos, porção interna da Baía, apresentam bosques com maior grau de desenvolvimento e qualidade ambiental em relação aos pontos mais próximos à pressões urbanas. Níveis intermediários de desenvolvimento também foram observados indicando pulsos de alterações ambientais. As comunidades da epifauna de moluscos e crustáceos foram diferentes nos pontos de franja e bacia, sofrendo influência da frequência de inundação. Composições das comunidades foram diferentes entre os pontos (1 ao 8), podendo ter sido influenciadas pelas alterações antrópicas, crustáceos foi mais diverso nos pontos com maior pressão antrópica e moluscos, ao contrário, apresentou uma redução nos valores dos descritores ecológicos nesses mesmos pontos. Em relação aos contaminantes do sedimento, esse estudo comprova que os pontos nas extremidades da Baía, submetidos a maior pressão antrópica, encontram-se com maiores concentrações dos compostos avaliados. A análise da morfologia superficial do sedimento ao longo da Baía de Vitória indicou que 63% dos pontos apresentaram tendência erosiva. Indicadores foram determinados para classificar os bosques em três níveis de vulnerabilidade e se mostraram bons estimadores na determinação dos níveis de vulnerabilidade do manguezal aos distúrbios futuros e podem indicar áreas prioritárias para recuperação e manejo.
The Vitória Bay is an estuary of great socio-economic importance in the state of Espirito Santo. Human interventions make this ecosystem more vulnerable to natural and anthropogenic stressors. An interdisciplinary analysis was performed to understand, through quantitative and qualitative methodology, the intrinsic characteristics that make a forest more or less sensitive to environmental changes in order to classify forests in levels of vulnerability. For this, it was examined vegetation, macrofauna, contaminants, sediment characteristics and urban pressure. Eight areas were established and in each area were demarcated two points, one for forest fringe and one for basin, totalizing sexteen sampling points. At each point were verified the vegetation structure data and semiannually samples were taken to verify particle size data and organic matter in the sediment, characterization of interstitial water, macrofauna and seedlings. In addition, at each point were evaluated the surface morphology of the sediment and sediment samples were collected for analysis of organic microcontaminants and trace and major elements. Although subject to various human impacts, the vegetation structure has forests with different degrees of maturity and structural heterogeneity, and the most distant areas of direct human impacts, inner portion of the Bay, have forests with higher levels of development and environmental quality compared to the ones closer to urban pressure points. Intermediary development levels were observed indicating pulses of environmental changes. The communities of epifauna of moluscs and crustaceans were different between the fringe and basin points, being influenced by flood frequency. Compositions of the communities were different between the points (1-8) and may have been influenced by anthropogenic changes, crustaceans were more diverse in points with greater anthropic pressure and molluscs, by contrast, showed a reduction in the values of ecological descriptors at those points. In relation to sediment contaminants, this study demonstrates that the points at the extremity of the Bay, subjected to greater human pressure, had higher concentrations of the compounds. Analysis of the sediment surface morphology along the Vitória Bay indicated that 63% of the points presented erosive trend. Indicators were determined to classify forests in three levels of vulnerability and showed to be good estimators in determining mangrove levels of vulnerability to future disturbances and can indicate priority areas for recovery and management.
URI: http://repositorio.ufes.br/handle/10/9161
Aparece nas coleções:PPGOAM - Teses de doutorado

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
tese_9372_Tese Gabriela Zamprogno.pdf15.56 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.